Um site para quem precisa da Verdade
PREGAÇÕES

ACJ-16 - Fui traído, e agora?


Mauro Clark - 03/09/2017
30 minutos




Mateus 26.47-49; Lucas 22.47-48

FUI TRAÍDO, E AGORA?

 

Série AGINDO COMO JESUS: ênfase não nos ensinos e doutrinas, mas na atitude, no comportamento dEle, para imitá-Lo em situações semelhantes.


Ler Mt 26.47-49 e Lc 22.47-48


Situação que Jesus enfrentou: ser traído.

Própria ideia de traição, indica ser denunciado por alguém do círculo de amizade, familiar, trabalho, etc. Não teria sentido falar que inimigo traiu outro.

Pois foi o que ocorreu com Jesus: Judas era do círculo íntimo de Jesus, aliás, o mais íntimo que existia: um dos 12 apóstolos.

Dois dados importantes:

1) Jesus sabia que Judas iria trai-Lo: Jo 6.70-71

2) Não é que Judas tinha bons propósitos e caiu de repente. Já era ladrão: Jo 12.6


Pergunta: Por que mesmo assim Jesus o convocou para ser apóstolo?

Poderíamos dizer que foi para cumprir profecia (Sl 41.9, ver Mt 26.24; 109.8 ver At 1.20), mas isso não iria ao âmago da pergunta.

Na realidade, não temos resposta completa, só Jesus poderia nos dizer com precisão.

De fato, à 1a. vista pode até parecer imprudência de Jesus colocar um desonesto para tomar conta do dinheiro do grupo.

Obviamente Jesus jamais gostaria que uma igreja O seguisse nesse ponto, colocando como tesoureiro alguém não confiável com dinheiro.

Por isso é que acho que os motivos dEle foram mais profundos e continham uma lição para nós:  faz parte da vida trabalharmos com pessoas hostis.

E poderá haver situações em que precisaremos até mesmo selecionar pessoas assim para trabalharem conosco.

Certamente não foi com prazer que Ele escolheu Judas para apóstolo, mas obrigado por circunstâncias, inclusive o cumprimento da profecia.

Mesmo reconhecendo que não temos todos os dados, fica a lição: aprenda a trabalhar com pessoas não confiáveis, e até mesmo de alguma maneira hostis a você.


Agora vamos ao foco da pregação:

A maneira de reagir ao ser traído por alguém do nosso círculo de relacionamento

Veja que Judas traiu Jesus duplamente: primeiro, quando roubava o dinheiro do grupo.

E, pior, traiu a própria Pessoa de Jesus, o que levou à morte dEle.


E como Jesus reagiu com o seu traidor? Duas atitudes:

I) Chamou-o de amigo... - Mt 26.50

Curioso: antes, Jesus o havia chamado de diabo, como vimos em Jo 6.70-71.

Diabo no grego é aquele que calunia, que acusa falsamente.

Acusação falsa é uma forma de traição.

Outra razão de Jesus ter chamado Judas de diabo: Satanás entrou em Judas:Jo 13.21-27

Como Jesus chamou de amigo um acusador, traidor, possesso pelo próprio Satanás?

É que Jesus amava as pessoas, independentemente de quem eram.

A palavra “amigo” reflete o que Jesus tinha no coração: atitude amigável, pacífica, mesmo com decepção, tristeza.

O que não vemos é destempero, ódio, vontade de esganar.

Primeira atitude se for traído: ter coração aberto, sem ódio, sem desejo de vingança.


II) ... a que viestes? - Mt 26.50

Fez mansamente a pergunta (talvez logo depois do beijo), mas que em si mesmo embutia repreensão: Lc 22.47-48

Jesus expõe toda a indignidade, a vileza do traidor com essa pergunta.

Lembra a pergunta que fez para o guarda que o esbofeteou horas mais tarde.

Mas permanece intacta a mansidão dele, a elegância, o espírito pacífico, no trato com um homem que tanto lhe fez mal.

(Mansidão é saber abrir mão de certos direitos, admitir ser tratado de maneira hostil, não se achar superior a ponto de não poder ser agredido).

Em suma: uma segunda atitude se for traído é agir com mansidão, de maneira pacífica (mesmo  se quiser deixar claro o erro do outro).


Que Deus nos abençoe. Amém



Ministério Falando de Cristo
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." (1 Co 1.24b)
Copyright 2004-2012. Todos os direitos reservados. http://www.falandodecristo.com