Um site para quem precisa da Verdade
PREGAÇÕES

Mãe, você sabe amar o seu filho?


Mauro Clark - 14/05/2017
41 minutos




Mateus 20.20-24

MÃE, VOCÊ SABE AMAR O SEU FILHO?

Mt 20.20-24


Passagem paralela: Mc 10.35-41 - citados João e Tiago, não a mãe deles.


Cena com Jesus, os dois apóst. João e Tiago, a mãe dos dois e o restante dez apóstolos.

Sendo Dia das Mães focarei na senhora (talvez Salomé, irmã de Maria, tia de Jesus).


Tudo começou com um pedido que Lhe fez a mãe dos dois homens.

Pedido infeliz:

* Além de egoísmo, mostrou certo descaso pelos outros

* Miopia espiritual, pois pensava que no reino dos céus valem os mesmos padrões de avaliação e “pistolão” para quase tudo.


Mas quero destacar DOIS aspectos positivos do pedido:

1. Mostrou FÉ da mulher: ela cria no reino de Cristo.
Talvez com base no que Ele dissera em Mt 19.28


2. Serviu para mostar o amor dela pelos filhos.

Amor é desejar o bem do outro e fazer o possível para que esse bem seja alcançado.

E foi isso o que fez aquela mãe: não apenas desejava o melhor para os filhos, mas SE DISPÔS a uma situação antipática e até meio ridícula para tentar conseguir.


Nunca nos cansaremos de admirar o proverbial amor de uma mãe por seus filhos.
Um amor sacrificial, quase não conhece limites para conseguir o melhor para os filhos.
Só que, nesse caso, houve um problema.


v.24

Antecipando a reação dos outros: os dez indignaram-se

A mãe e seus dois filhos ficaram antipatizados pelos outros.

Os filhos teriam feito bem se tivessem poupado a sua mãe a tal constrangimento.

E a mulher teria sido mais sábia se tivesse se recusado a atendê-los e ainda dado uma bela lição de moral em seus filhos egoistas.


Duas lições:

1) Aos filhos: não abusem do amor de suas mães.


2) Às mães: aprendam a dizer NÃO para seus filhos quando necessário. Pode parecer falta de amor. Mas, às vezes, dizer “não” é precisamente o que mostra amor.

E esse teria sido o caso aqui.

Peça a Deus sabedoria para saber COMO amar o seu filho. 


v.22-23

Quanto a Jesus, a resposta veio em três partes, dirigindo-se aos dois:

1. Não sabiam o que estava pedindo.

2. Perguntou diretamente aos dois se eles poderiam beber o cálice que Ele beberia.


3. O pedido exato, Ele não poderia atender, pois já estava determinado pelo Pai.


Não explorarei cada detalhe, pois daria uma pregação inteira.

Quero apenas comentar algumas coisas sobre a questão do cálice.

Beber o cálice: participar ativamente de algo grande, tanto bom como ruim.

No caso de Jesus, por um lado, esse cálice incluía glória, sentar no trono com Ele, etc.

Por outro, apontava, pelo menos de modo mais imediato, para sofrimento, perseguições e morte.

Ou seja, além de posições de honra e glória, Jesus também prometeu sofrimento.


A situação, portanto, era complexa e dificil de entender.

Não admira que Jesus tenha dito que eles não estavam entendendo o que pediam.

Seja como for, mesmo não entendendo bem, disseram que sim e isso ficou prometido.

Claro que aqui há demonstração bonita de lealdade dois dois.

Aliás, Tiago foi o primeiro mártir da igreja cristã.

João viveu até a velhice, sofreu muito, foi perseguido e findou exilado na ilha de Patmos.


Mas voltemos à mãe dos dois:

Imagine que ela fosse avisada do que viria. É muito provável que dissesse:

“Espera, Senhor, isso não. Se não podes dar o que te pedí, pelo menos livra meus filhos de tais sofrimentos!

Qualquer mãe naturalmente teria essa tendência.

Só que isso teria sido a PIOR reação possível! Por que?

Porque era assim que Jesus precisava deles. Era assim o plano de Deus para eles.

Ou seja, isso era O MELHOR para eles! E a mãe não queria o melhor?


Isso nos leva a mais duas lições:

1. Em nossas orações, saibamos pedir as coisas corretamente.
Quantas bênçãos são desperdiçadas por orações mal feitas.
Deixemos de lado as coisas extravagantes e esquisitas. Deixemos de lado o egoísmo.

Em particular às mães: orem por seus filhos com cuidado: peçam coisas básicas, fundamentais, não concentrem em detalhes.

E seja como for, sempre condicione à vontade de Deus.


2. Quando orarmos por uma coisa específica e Deus nos der outra, fiquemos tranquilos na certeza de aquilo é o melhor.

A rigor, se dizemos “conforme a Tua vontade” com sinceridade, Deus sempre nos dará o que pedimos.


Às mães: mesmo pedindo coisas válidas para seu filho, contente-se se Deus mudar tudo: pede uma esposa, e ele fica solteiro; pede saúde, e ele adoece, etc. Deixe com Deus.


Nunca esqueçamos: Deus nos ama e sempre quer o melhor para nós.


Graças  a Deus pelo amor de mãe, porém, mais graças ainda pelo amor de Deus, que excede em muito ao amor de mãe: Is 49.15.

E que cada mãe saiba afinar cada vez mais seu amor pelos filhos com o amor de Deus por eles.


Que Deus nos abençoe. Amém



Ministério Falando de Cristo
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." (1 Co 1.24b)
Copyright 2004-2012. Todos os direitos reservados. http://www.falandodecristo.com