Um site para quem precisa da Verdade
PREGAÇÕES

Que Deus bom! (Ano Novo) - Sl 107


Mauro Clark - 30/12/2018
59 minutos




Salmos 107

Que Deus bom! (Ano Novo)

Sl 107


Toda a Bíblia diz explicitamente que Deus é BOM.

Quero concentrar na bondade de Deus, dirigindo o foco para este ano que passou.

No Sl 107, a bondade de Deus se sobrassai: (v.1, 8, 15, 21, 31).

Talvez lembre o retorno do exílio dos judeus da Babilônia, mas não é certo.


A bondade de Deus não é algo que vamos comprovar apenas no céu.

Nós temos vivenciado essa verdade em nossas próprias vidas. Vamos ao Sl 107.

O salmista descreve 4 situações específicas que obedecem a um padrão: grupo numa certa dificuldade, aflição, clamor e livramento de Deus. E esse livramento é sempre atribuído à bondade dEle. Aplicarei para a nossa vida, enfatizando aspectos espirituais.


v.1-3: Início e descrição geral dos que devem dar graças a Deus pela sua bondade: os redimidos, que foram livres dos seus inimigos, das suas adversidades em geral.


v. 4-7: 1ª. situação específica: Errantes no deserto, famintos, sedentos. Clamara a Deus, foram ouvidos e assim guiados por Ele.

Deus nos redimiu quando estávemos perdidos pelo deserto de uma vida em pecado. Todos os convertidos deste ano podem afirmar isso. E os dos anos passados também!

Éramos escravos de Satanás, mas com sede clamamos e fomos ouvidos.

Deus foi bom com cada um de nós por isso. Boníssimo!


v. 8-14: Observem a repetição da ordem de dar graças porque Ele é bom.

2ª. situação específica: Rejeitaram a Palavra de Deus  e os Seus conselhos, andaram por maus caminhos, foram rebeldes. Resultado: presos (literalmente ou figurativamente).

Sofreram, angustiaram-se, arrependeram-se e clamaram.

E mais uma vez, Deus os ouviu e os amparou.


Nosso tempo da incredulidade não foi apenas tempo de se sentir perdido, vagando, sedento, mas também tempo de se sentir mal por erros de toda ordem, preso a uma situação que não podia mudar, promessas de mudança em inícios de ano.

Cada crente aqui sabe o que é ser escravo do pecado.

E um dia se arrependeu, clamou a Deus por perdão e comprovou a bondade de Deus, que nos levou ao arrependimento e cumlminou nos salvando em Cristo.


v. 15-20

Novamente o trecho começa referindo-se à bondade de Deus.

3ª. situação específica: Doenças, mas parece que associadas com maus caminhos, rebeldia (novamente) erros, e as consequências: ansiedade, angústia, doenças psico-somáticas, que resultam em dores, mal funcionamento do corpo, desânimo, perda de apetite. Alguns estiveram perto da morte.

Na sua angústia clamaram e foram ouvidos. Deus os livrou da angústia e da doença.


Não preciso falar da complexidade das causas das nossas doenças. Cada vez mais a medicina comprova a ligação de doenças físicas com causas emocionais, psicológicas.

É evidente que quase todos adoecemos da alguma coisa e é altamente provável que, algumas vezes, a causa foi pecado, resultando em disciplina de Deus (embora não saibamos identificar com precisão).

Seja como for, certamente cada um aqui clamou a Deus em seus problemas de saúde e de tristeza. E muitos fomos de fato curados (com ajuda da medicina ou não).

Cada caso foi objeto da bondade de Deus.


v. 21-30: O trecho começa da mesma maneira: bondade de Deus.

4ª. situação específica: marinheiros em plena tempestade.

Ficaram angustiados, desfalecidos e desorientados.

Mas reconheceram que Deus domina sobre os elementos da natureza.

E clamaram angustiados. Foram ouvidos e levados a salvo ao porto.


Quantos de nós não estivemos em tempestades neste ano?

Mas reconhecemos o poder de Deus sobre tudo, clamamos e fomos ouvidos.

Desfez-se a tormenta e Ele nos encaminou para porto seguro, para situação normal.


v. 31-41

O salmista muda de situações específicas e fala de casos mais gerais.

Mas uma coisa ele manteve: inicia o trecho falando da bondade de Deus, sempre incentivando que a bondade e as maravilhas de Deus sejam louvados pelos homens.


E fala de 3 providências de Deus na terra, deixando implícito que essas providências são movidas pela bondade e os outros atributos dEle:


1ª providência: v.33-34

Quando é preciso, Ele castiga a maldade, transformando rios em desertos.

Observe que isso faz parte da bondade de Deus (embora o mundo não entenda).


2ª. providência: v.35-38

Também faz o contrário: quando é para ajudar necessitados, transforma deserto em lençóis de água, abençoa, dá mantimentos, faz que prosperem em abundancia.


Na nossa vida, teemos visto pessoalmente rios transformados em desertos, para nossa disciplina. E o contrário: tudo seco, clamamos e de repente torrentes de água!


3ª providência: v. 39-41

Quando há opressão, às vezes Deus resolve castigar os opressores e livra os oprimidos.

Embora não pareça muito evidente, Deus protege os oprimidos, em especial os crentes!


Não somos perseguidos como em certos países, mas certamente muitos já fomos alvos de hostilidades na família, no trabalho, etc.

E vimos a mão de Deus nos amparando de diversas formas.

Tudo isso faz parte da bondade de Deus em nossas vidas.


v.42-43: Conclusão

Grande parte da humanidade festeja o novo ano por puro divertimento. Fazem pouco caso de Deus, não gostam dEle e nem de Seus caminhos. Fecham a boca quanto a Ele.

Quanto a nós, graças a Deus estamos agindo como sábios, ao considerarmos essas coisas. Especialmente quando lembramos que a bondade e as misericórdias de Deus ficarão totalmente evidentes no céu. É lá onde está o nosso porto totalmente seguro!


Que Deus seja louvado e nos abençoe. Amém.



Ministério Falando de Cristo
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." (1 Co 1.24b)
Copyright 2004-2012. Todos os direitos reservados. http://www.falandodecristo.com