Um site para quem precisa da Verdade
PREGAÇÕES

Paciência com o cônjuge - FEC 3/9


Mauro Clark - 07/04/2018
57 minutos





PACIÊNCIA COM O CÔNJUGE

 

Paciência: virtude muito recomendada na Bíblia, para todos os crentes.

Duas palavras no grego que, embora se pareçam, têm diferenças. Veremos a 1ª hoje.


1. Hupomonee

Traduzido por duas palavras: PACIÊNCIA (Rm 8.25) e PERSEVERANÇA (Rm 5.3).

No grego: “Qualidade que não se rende a circunstâncias nem sucumbe perante tentação; é o oposto de desânimo, abatimento; é associado com esperança. Nunca se refere a Deus." - Vine.

Nada a ver com conformação derrotista, desanimada, abatida.


υπομενω hupomeno (hupo: embaixo + meno: permanecer): capacidade de suportar firmemente circunstâncias difíceis, desagradáveis ou sofridas, aguardando mudanças, com ânimo elevado e esperança.


Algumas situações da vida que precisamos de PACIÊNCIA:

* Hb 12.1: A carreira cristã é dura e pesada, somos assediados tenazmente pelo pecado, mas precisamos encarar a carreira que nos está proposta. A arma para sermos bem-sucedidos é a perseverança!


* Rm 5.3-5: Paciência faz parte da experiência do crente que culmina com a esperança saudável que o Espírito Santo coloca no coração. (Parecidas: Tg 1.2-4; 2Pe 1.3-8)


* Rm 8.22-25: É preciso perseverança para aguardarmos a nossa glorificação final, como filhos de Deus.


* Rm 15.4-6: é nesta passagem que vamos nos concentrar, focalizando no casamento.

Três pontos a ressaltar:

v.5: 1) Paciência é fundamental para termos sentimentos sadios uns com os outros

No nosso caso aqui, o outro é o cônjuge.

Uma das maiores dificuldades da vida cristã é o relacionamento com as pessoas, incluindo irmãos em Cristo.

O motivo é simples: somos pecadores.

Infelizmente o relacionamento marido-mulher está incluído nessa dificuldade e ainda

num grau maior, por causa do contato, que é muito maior.

Os defeitos e certas características irritantes de cada um e a falta de sintonia em algumas áreas ficam em grande evidência.

É onde precisa entrar a paciência dos dois lados.  

(Refiro-me a defeitos ou mesmo características que irritam o outro e atrapalham o casamento. Excluo agressões - que falaremos ao abordar a 2ª. palavra (tolerância).

 

Esse sentido de paciência que estamos tratando não é conformação passiva, tipo “Tudo bem, o fulano é assim mesmo, fazer o que?”

A paciência bíblica responde: “Fazer o que? Suportar! Suportar com consciência, suportar fazendo esforço, e especialmente suportar com esperança! ”


Esperança... de que? De que Deus pode, se quiser, aliviar ou mesmo fazer desaparecer o ponto de tensão que está exigindo tanta paciência, num problema específico.

Não uma esperança ilusória, não uma esperança sonhadora, mas realista.

E o fato de saber que poderá nunca se tornar realidade, não deixa de ser esperança real!


Importante: além de pedir a Deus esperança, como uma capacidade espiritual, um fruto do Espírito, é importante usar o bom senso, o razoável.

Do contrário, pode virar mesmo uma esperança ilusória e sonhadora.


Vamos supor um casal.

Ela tem algumas coisas que o irritam e o deixam sem paciência, irritado.

A irritação dele a irrita.

Detalhe: ele também tem algumas coisas que a irritam e a deixa sem paciência, irritada. A irritação dela o irrita.

O casamento pode facilmente se tornar um ninho de irritação!


Como resolver?  Ir por parte.

Primeiro, examinar se os pontos do outro que o irritam são características ou defeitos.

Se ela se irrita porque ele é caladão e querer que se torne conversador, não é razoável.

E nem a esposa desorganizada vai se tornar super-organizada.

Essas coisas não são defeitos morais, mas características de personalidade.

Esperar que o outro mude o jeito de ser para se adaptar ao seu jeito de ser, é irreal!

Não creio que funcione pedir a Deus que mude o jeito do outro.

Melhor é pedir que lhe dê paciência para suportar o outro, sabedoria para valorizar mais as qualidades que lhe agradam no outro, etc.


É diferente quando se trata de defeito moral do outro: grosseiro, mentiroso, cínico, etc.

Esse é um problema sério, que precisa ser trabalhado com firmeza e sabedoria.

É fundamental a cooperação de AMBAS AS PARTES, cada uma de maneira diferente.


Da parte do que está sofrendo com o defeito do outro:

* Confrontar o outro, expor, pedir correção, etc.

* Orar a Deus, confiando que Ele quer o melhor para o casal e pode para ajudar o outro.

É exatamente daí que nasce a ESPERANÇA.

E enquanto o aperfeiçoamento não chega, determinar consigo mesmo a suportar as consequências desagradáveis do tal defeito.  É a FIRMEZA na espera.


Da parte do que está errando e causando sofrimento do outro

 * Responsabilidade de melhorar.

Grande erro pensar “sempre fui assim e ele sabia antes de casar. Agora me aguente.” Tipo de atitude que pode destruir um casamento.


Em suma, cada cônjuge deve se determinar a buscar sempre o próprio crescimento.

E deixar isso claro para o outro. Não apenas com palavras, mas com atitudes.

À medida que um percebe que o outro está melhorando, as esperanças se renovam, e conclui que vale apena continuar esperando, a sua paciência está funcionando!


Voltando ao v.5:

2) A fonte dessa paciência é Deus

Não procure desenvolver sozinho a sua paciência. Você NÃO conseguirá. A decisão é SUA, mas o PODER vem de Deus.

A consequência disso é óbvia que talvez passe desapercebida: se você quer paciência, tem de pedir a Deus! Cl 1.11-12; 2Ts 3.5 (Alvo: imitar Jesus na paciência que Ele teve).

 

v.6: 3) Relacionamento sadio entre irmãos, com paciência, glorifica a Deus.

Particularizando: o casamento harmonioso, em que há paciência, glorifica a Deus.

Poderá haver alvo melhor para um casamento do que ser um relacionamento que glorifica ao Deus do céu, que rende louvores a Ele, que O honra, O exalta, O alegra?

Pois aqui está um alvo claramente apontado pela Bíblia: ter paciência.


Duas sugestões finais:

A. Exercite paciência com mais uma Pessoa, além do seu cônjuge: Deus!

Isso mesmo: tenha mais paciência com Deus!

Obviamente não aguardando que Ele se aperfeiçoe, mas aguardando que Ele AJA!

Talvez você já achou que Deus não tem ouvido as suas súplicas pelo seu casamento! Mas Ele ouve. Pode não responder como você gostaria, mas ouve e lhe ama! Calma!


B. Exercite paciência com circunstâncias.

Situação financeira, doenças, filho problemático.

Se esses fatores desagradáveis não forem suportados com paciência, levarão à exasperação do casal e atritos.


Termino com o v.4 de Rm 15.

O estudo das Escrituras ajuda a ter paciência. Ao mesmo tempo, as Escrituras consolam. E a paciência somada ao consolo produzem esperança!

Tenha paciência com o seu marido-mulher. Seu casamento poderá ser muito melhor do que é. Em Cristo, pode ter essa esperança!


Que Deus nos abençoe.



Ministério Falando de Cristo
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." (1 Co 1.24b)
Copyright 2004-2012. Todos os direitos reservados. http://www.falandodecristo.com