PREGAÇÃO

O diabo e o mundo: sempre inimigos nossos (Ex 5-3)

Mauro Clark

Ex 5.15-21         12/11/2017          31 minutos


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close O diabo e o mundo: sempre inimigos nossos (Ex 5-3)
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior


O DIABO E O MUNDO: SEMPRE INIMIGOS NOSSOS (Ex 5-3)

Ex 5.15-21

 

Vimos que Faraó apertou ainda mais o povo, aumentando o trabalho, e os capatazes dos judeus foram cobrados e açoitados pelo atraso no serviço.

 

v.15-19

Os capatazes de Israel foram falar diretamente com Faraó, para argumentar, apelar, implorar por misericórdia.

Claro que a conversa não deu resultado, pois Faraó era inimigo mortal deles.

 

De fato, os capatazes estavam numa situação terrível.

Sei que é humano apelar para a misericórdia de um poderoso que nos maltrata.

Mesmo assim, minha tendência é achar que eles não fizeram bem em falar com o Faraó.

Volto já ao assunto.

 

O fato é que essa era uma guerra espiritual, sendo o diabo o grande inimigo. Ele estava por trás de Faraó.

E sempre esteve por trás dos cruéis monstros humanos que já passaram pelo mundo.

E jamais haverá um grão de misericórdia do diabo por ninguém, incluindo você.

Se parece haver, é por estratégia, engano, ou crueldade, mas nunca por real compaixão.

 

Nós, crentes, estamos em constante guerra contra o diabo e seus súditos.

Nossa missão no mundo é dar bom testemunho e pregar o que a Palavra de Deus ensina.

Se isso causar atrito, perseguição, até morte nossa, que cause.

Mas nunca devemos fazer pedidos, acordos, concessões, sacrificando a Palavra de Deus. E não esqueça: o mundo é nosso inimigo, é contra nós, mesmo que não pareça: Tg 4.4

 

v.20-21

Informação interessante, quase desconcertante: Moisés e Arão lá fora, esperando para falar com eles.

É difícil saber o que aconteceu, pois não temos informação.

Mas tem algo esquisito, como se houvesse alguma coisa invertida.

Moisés e Arão haviam chegado com uma missão dada diretamente por Deus, assumido a liderança do povo e inclusive já haviam estado pessoalmente com o Faraó.

E agora assumem uma posição secundária, aguardando o resultado.

 

Voltando ao assunto se foi erro a apelação a Faraó:

Se os capatazes foram por conta própria (e só depois é que Moisés soube), eles erraram.

Se Moisés soube antes, foi contra a ideia e eles foram assim mesmo, também erraram.

Agora, se Moisés soube antes e concordou que eles fossem, acho que Moisés errou.

Seja como for, apelar para o Faraó foi um erro, embora não sabemos de quem.

 

Mas depois da audiência, uma coisa é certa: os capatazes erraram gravemente ao acusarem duramente Moisés e Arão, mostrando falta de confiança e, pior, falta de respeito com os enviados de Deus.

Eles já haviam crido e adorado a Deus, depois de verem os milagres de Moisés e Arão e aceitado a liderança deles!

Como acusa-los dessa forma?

 

A Bíblia sempre alertou para o cuidado do povo de Deus em respeitar os seus líderes:

Hb 13.17; 1Co 16.15-16; 1Ts 5.12-13; 1Tm 5.19

Em termos de igreja, o pastor deve ser respeitado e considerado como autoridade e devidamente respeitado.

E se isso é usado por maus pastores para excessos, não anula o princípio.

 

O fato é que Faraó acertou no alvo, causando a desunião entre os judeus.

 

Satanás prima por causar desunião no reino de Deus, jogar uns contra os outros!

Sempre que você se “arranhar” com irmão e não resolver, está fazendo o gosto do diabo.

 

Qual a reação de Moisés? Próxima pregação.

 

Que Deus nos abençoe. Amém

Mauro Clark, 68 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2020
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2020 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b