PREGAÇÃO

Péssimo Natal, o de Herodes. E o seu?

Mt 2.1-18      minutos      25/12/2014         

Mauro Clark


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close Péssimo Natal, o de Herodes. E o seu?
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior


Nesta mensagem vamos nos concentrar na pessoa de Herodes, dentro do contexto do nascimento de Cristo.

 

Versículos 1-3

Os magos disseram três coisas de peso:

1) Nasceu um rei dos judeus.

É importante notar que os judeus estavam sob jugo romano. Mesmo chamado de rei e sendo judeu, Herodes não passava de um vassalo do imperador de Roma. Ele não nasceu rei, mas foi feito rei pelo imperador, e deixaria de ser no momento que o imperador quisesse.

Mas o menino de que os magos falavam, já nasceu rei, como por direito.

 

2) O rei nascido era alguém muito especial, pois uma estrela indicava o local do seu nascimento desde muito longe de Jerusalém, ao oriente.

 

3) Ele era digno de adoração.

 

O rei alarmou-se e toda a população.

Só que o rei alarmou-se de maneira completamente diferente do povo.

Para o povo, poderia ser o libertador tão esperado, que livraria Israel do jugo estrangeiro. Esse alarme deve ter sido um misto de euforia, ansiedade, expectativa.

 

Mas com Herodes não foi assim. Ele não queria concorrência para o seu reinado.

Seu alarme foi de enorme preocupação. O menino seria uma ameaça para ele.

 

Interesante: o Salvador nascendo, vindo ao mundo para fazer exclusivamente o bem, além de sofrer e morrer, e um homem com medo dEle, vendo nEle uma ameaça.

Que contrasenso!

 

Aplicação

Muita gente vê em Deus uma ameaça:

* De perder a liberdade de fazer o que bem entende.

* De deixar de gozar de muitos prazeres da vida.

* De perder a posição social, conquistada a duras penas.

* De ter que abrir mão de parte do seu dinheiro (pavor do “dizimo”).

* De perder amizades antigas.

 

Mas que infeliz distorção! Deus jamais foi ameaça para ninguém.

É exatamente o contrário. Deus ajuda, ampara, Deus salva!

Sendo um Deus de amor, de bondade, de misericórdia, como faria mal a alguém?

 

O problema é que os padrões dos homens estão invertidos com relação aos de Deus.

O que é bom para Deus, os homens acham ruim para si. E vice-versa.

 

* Quanto à liberdade, é para o bem do homem que Deus não o quer livre para fazer o
  que quiser, pois ele praticamente só vai pecar.

  Na realidade, a liberdade do homem é uma ilusão.

  Ser livre de Deus signfica ser escravo do Diabo.

 

* E os prazeres que o homem quer usufruir, são carnais, pecaminosos, dão em morte.

 

* Se a posição social vai trazer orgulho, vaidade e roubar quase todo o tempo disponivel, é bom que o homem perca essa posição.

 

* Se o dinheiro (cujo amor é a raiz de todos os males) vai lhe estragar, é bom que
  aprenda a abrir mão de parte dele.

 

* Se as amizades são más companhias em termos de influência para o que é aprovado por Deus, é bom que a pessoa as perca.

 

Em suma, Deus só é ameaça para quem quer andar em maus caminhos, ser desobediente, continuar em seus delitos e pecados.

Nesse caso, Ele é uma ameaça do jeito que o juiz é uma ameaça ao fora-da-lei.

Mas para quem deseja fazer o bem, Deus é uma verdadeira tábua de salvação.

Aliás, foi exatamente para poder oferecer salvação que aquele Menino veio ao mundo, apavorando Herodes.

 

Versículos 4-6

Herodes recebe instruções completas e detalhadas sobre o nascimento do Messias.

A profecia de Miquéias, de oito séculos antes, é cumprida à vista dele.

Que oportunidade de ouro para o rei reconhecer o poder de Deus e ir adorar o menino também.

Mas o ensino das Escrituras não teve nenhum efeito sobre ele.

Seus interesses e propósitos eram outros.

 

Aplicação

Quantos ouvem o Evangelho de pessoas altamente qualificadas para explicar com clareza. Recebem instruções detalhadas. Mas a pregação não tem efeito. Eles simplesmente não estão abertos para se humilharem e se dobrarem perante Deus. Seus interesses são outros.

 

Versículos 7-8

Herodes recebe mais instruções, desta vez quanto à idade provável do menino.

Observe que o próprio Herodes envia os magos a Belém.

De alguma maneira ele levou a sério a profecia de Oséias.

Ele mesmo não foi, mas mandou os magos irem.

 

Aplicação

Já vi pais e mães trazendo filhos à igreja dizendo: Embora eu mesmo não seja crente, quero que meus filhos cresçam ouvindo os caminhos de Deus.

Isso é de cortar o coração!

Eles sabem que a Bíblia é a Palavra de Deus, quase que sentem que ali estão as palavras de salvação, querem que os filhos sigam, mas eles mesmos não vão.

 

Versículos 9-12

Os magos foram, ainda orientados pela estrela, que parou onde estava o menino.

A palavra grega paidion, pode se referir tanto a um récem nascido como a uma criança de alguns meses ou até um menino de poucos anos.

Diferente de brephos, usado em Lucas 2.16, que significa bebê, récem nascido.

Conforme veremos adiante, é possível que Jesus já tivesse alguns meses de vida.

Os magos se alegraram, deram presentes e adoraram o menino Jesus.

Pouco antes da hora de voltar, tiveram um sonho, em que foram proibidos por Deus para não voltarem à presença de Herodes.

 

Enfrentaram caso típico de decisão quanto a obedecer a homens ou a Deus.

Eles tinham uma ordem taxativa da maior autoridade da região para que voltassem à sua presença, com informações sobre o menino.

Depois receberam ordens de Deus para não obedecerem o rei. Qual ordem seguir?

Fizeram o que é certo: obedeceram a Deus.

Agindo assim, colocaram em prática o princípio divino expresso por Pedro, mais de 30 anos depois:

 

Atos 5.29: Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens.

 

Aplicação

Quando você recebe uma ordem - seja de seus pais, chefe, patrão, autoridade civil ou militar, ou religiosa, ou de qualquer natureza -, e essa ordem mostra-se contrária a um mandamento divino, qual você obedece?

É bem melhor para você que obedeça a Deus.

Muitas vezes isso não será fácil, e até exigirá um alto preço. Mas é o certo a fazer.

Embora não esteja registrado, é fácil imaginar o medo dos magos em voltar por outro caminho, mas ainda dentro dos territórios de Herodes. Podiam ser pegos a qualquer momento e estariam fatalmente condenados. Mas foram fiéis à ordem divina.

Sempre faça o mesmo!

 

Versículos 13-15

Herodes, lá no seu íntimo, já havia tramado um plano diabólico: matar o menino.

Mas Deus, que perscruta os corações, nunca é pego de surpresa.

Avisa a José em sonho para fugir imeditamente para o Egito.

Talvez ainda na mesma noite, José toma Maria e o menino e partem para uma longa e desconfortável viagem para outro país.

 

Versículos 16-18

Herodes fica louco de ódio quando descobre que os magos os iludiu.

E o seu plano, que a principio era matar uma criança, adquire proporções de carnificina.

E manda matar todas as crianças de 2 anos abaixo, não apenas de Belém, mas também dos arredores.

Vemos aqui a possibilidade de que tenha ouvido dos magos que eles passaram meses viajando.

Ao ter marcado dois anos, talvez tenha dado uma margem para cima, para se assegurar de que Jesus não escaparia.

Sem saber, Herodes cumpria uma profecia de Jeremias, sobre a morte de crianças judias.

Não sabemos quantas crianças morreram. Belém era uma vila bem pequena. Talvez tivesse algumas dezenas de crianças até dois anos.

Considerando as vilas vizinhas, também pequenas, o número de criancinhas mortas deve ter sido de várias dezenas ou algumas poucas centenas.

 

Termino com 3 observações:

1) Satanás, destruindo Jesus através de Herodes, estava ansioso para eliminar a possibilidade de salvação para os homens.

Se Jesus tivesse morrido criança, como teria feito o sacrificio voluntário que fez pelos nossos pecados?

 

Não se iluda, amigo! O Diabo continua hoje com o mesmíssimo interesse: afastar as pessoas de Deus. Será que Ele tem conseguido isto de você?

 

2) Deus é muito mais forte e poderoso do que Satanás.

De algum modo e por algum motivo, Deus deu muito poder a Satanás neste mundo.

E esse ser maligno tem feito muito estrago por aqui.

Deus, em Sua soberania, tem permitido essas coisas acontecerem.

Porém uma coisa é certa: jamais Satanás vai frustrar os planos de Deus.

Jamais deixará de ser salvo um só eleito de Deus, por mais que o inimigo se esforce.

 

Como é reconfortante saber isso. Os que crêem nessa verdade sentem-se fortemente animados, enquanto vivem num mundo tão cruel e hostil a Deus.

 

3) Não pense que apenas os grandes criminosos, como Herodes, é que serão condenados ao inferno.

É importante sempre lembrar que para ir ao inferno basta um só pecado.

E se você ainda não fez as pazes com Deus, lembre-se que o Natal é o nascimento dAquele que veio precisamente para lhe dar esperança.

E não apenas esperança, mas a realidade de uma vida eterna como Deus.

 

Que Deus nos abençoe.

 

                                               - Amém -

Mauro Clark, 69 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2021
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2021 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b