PREGAÇÃO

Um pai muito melhor que o outro

Mt 7.7-11      41 minutos      14/08/2016         

Mauro Clark


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close Um pai muito melhor que o outro
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior


UM PAI MUITO MELHOR QUE O OUTRO

Mateus 7.7-11

 

Jesus encoraja os crentes a pedirem o que desejarem ao Pai celestial.

Mas Ele não se limita apenas a dizer “peçam”.

Queria ensinar algo sobre o relacionamento do Pai com Ele - o que pouco sabiam.

É importante lembrar que no Velho Testamento, nas poucas vezes em que Deus aparece como Pai, é referindo-se a Israel como filho, ou seja, todo o povo.

Por isso os discípulos de Jesus tinham muito que aprender sobre o tratamento individual que Deus dispensa aos salvos.

 

Jesus faz então uma comparação entre o Pai celeste e uma figura muitíssimo conhecida de todos: o pai terreno.

 

v.9-10

Jesus faz duas perguntas cujas respostas eram óbvias, uma vez que todo pai normal dá o melhor para os filhos.

E o interesse paterno é uma verdade que cada pessoa aprendeu não porque alguém disse, ou porque leu em algum lugar, mas descobriu por si, desde o berço.

É na infância que a mente está mais aberta para o conhecimento, para ser moldada.

E é nessa fase da vida que a pessoa está mais carente de segurança e proteção.

Por isso é que as recordações que temos dos nossos pais ficaram tão fortemente marcadas em nossas mentes e corações.

Quem não se lembra do carro, ou da bicicleta ou do cavalo do Papai? Até de detalhes, como o relógio, um certo sapato, os óculos do Papai?

Quem não se lembra das crises da infância em que recebemos amor dele? (Sempre do jeitão dele de amar, é claro!).

 

Jesus, ao fazer aquelas perguntas, sabia que estava tocando num ponto muito sensível a qualquer um: o amor do pai ao filho.

Então parte para a comparação, mas utilizando um contraste ao mesmo tempo chocante e revelador, que daria muito mais força ao que desejaria ensinar.

 

v.11

O que esperaríamos normalmente seria algo assim: "Se vocês, que são bons pais, dão boas coisas aos seus filhos, imaginem que coisas maravilhosas dará aos seus filhos um Pai que além de também ser bom, é divino."

Mas não foi o que Ele disse. Com toda a naturalidade, chamou os pais de pessoas más!

(Aqui está uma boa passagem sobre a doutrina de que todo homem é pecador).

 

Mesmo chamando os pais de maus, Jesus admite que dão coisas boas aos filhos.

O instinto paterno é tão forte que age de maneira contrária à natureza pecadora que todo homem carrega dentro de si.

Em suma, o que Jesus ensinou foi: se pessoas humanas más dão coisas boas aos filhos, quanto mais um Deus com caráter santo, puro e bom!

É evidente que esse Pai celestial haverá de dar coisas tão boas, mas tão boas, que nossos lábios não saberiam exprimir.

 

Hoje é um dia em que estamos pensando em nossos pais, recordando das coisas boas que eles fizeram ou nos deram no passado.

Sugiro aproveitarmos esse pensamento e, explorando a analogia feita por Jesus, também nos lembrarmos das coisas boas que o nosso Pai celestial nos tem dado.

 

Algumas sugestões:

* Pai terreno: sustento (para manter a vida).

* Pai celestial: deu a própria vida e tudo o mais para mantê-la (começando com o ar que respiramos!).

Aliás, Ele sustentou o nosso próprio pai terreno para que pudesse nos sustentar!

 

* Pai terreno: cuidou para manter a nossa saúde (remédios, médicos, etc).

* Pai celestial: deu a própria saúde!

 

* Pai terreno: proteção (física e psicológica).

* Pai celestial: proteção muito mais profunda (além de física e mental, também espiritual).

 

* Pai terreno: nos ensinou e providenciou para que outros nos ensinassem.

* Pai celestial: nos ensina direta e pessoalmente através do Espírito Santo e através dos servos dEle que pregam a Palavra.

 

Como nosso Deus é bondoso, em ter dado aos homens o privilégio de um relacionamento humano que imita o relacionamento dEle próprio com os Seus filhos!

 

Encerro com mais uma analogia, mas também com uma diferença.

Analogia:

* Pais terrenos: para proporcionarem coisas boas a nós, deram muito de si: trabalho, dinheiro, tempo de lazer, noites sem dormir.

 

* Pai celestial: para nos dar a melhor coisa que poderíamos imaginar, a salvação da nossa alma, Ele deu o que tinha de mais precioso: o Seu único Filho!

E é exatamente por causa desse Filho maravilhoso, Jesus Cristo, que podemos chamar Deus não apenas de Pai, mas com intimidade: Papai! - Gl 4.4-6

 

Diferença

* Pais terrenos: já nos deixaram ou a qualquer momento poderão nos deixar sem pai.

* Pai celestial: jamais nos deixará sem Pai. Ao contrário: cada vez Ele será mais presente em nossas vidas, à medida que amadurecemos espiritualmente.

E quando formos para o céu, aí é que vamos conhecê-Lo ainda melhor e nos deliciarmos eternamente na Sua presença.

 

Graças a Deus pelo nosso pai terreno e mais ainda por Ele mesmo, nosso Pai celestial.

Que Ele nos abençoe. Amém

Mauro Clark, 69 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2021
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2021 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b