PREGAÇÃO

Série Êxodo 53 - Ex 20.7: O 3o. mandamento: Cuidado com o nome de Deus

Mauro Clark

Ex 20.7         18/08/2019         43 minutos


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close Série Êxodo 53 - Ex 20.7: O 3o. mandamento: Cuidado com o nome de Deus
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior


Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão...

tomar em vão: literalmente: usar mal, indevidamente.

 

De imediato, duas idéias:

* Jurar falsamente, citando o nome de Deus

* Desrespeitar o nome de Deus, usando-o de modo irreverente, leviano (extremo: blasfêmia)

 

Mas será que o peso deste mandamento vai só até aí? Não. Vai além.

Os antigos davam muito mais peso ao nome do que hoje.

O nome tinha significado, quase característica pessoal.

Exs: Jesus: Salvador.

Jeová, o “nome pessoal” de Deus: “Eu Sou o Que Sou”, fala da imutabilidade dEle.

 

Ainda hoje: “Fulano tem um nome honrado”, quer dizer, o próprio fulano é honrado.

 

Então, o mandamento seria algo assim:

Muito cuidado quando usar o nome de Deus em qualquer situação.

Além do falso juramento e desrespeito ao nome de Deus, outras situacoes podem infringir o 3º. mandamento:

* Ensinos teológicos/doutrinários errados (inclusive profecias)

* Comportamento ético e moral contra os padrões de Deus dizendo ser isso o que Ele quer.

 

Após a ordem, vem a ameaça:

... porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.

não terá por inocente = terá por culpado.

 

A pena da blasfêmia era morte: Lv 24.16

A pena de falsa profecia era morte: Dt 18.20

 

Era e é extremamente grave usar o nome de Deus de modo indevido.

 

Duas observações:

1. Por que tanta exigência com o nome de Deus? Porque Ele é santo.
Qualquer coisa que se diga envolvendo a Pessoa dEle deve estar totalmente afinado com o caráter dEle, com a Palavra, com os planos dEle.
Será que você fala de tal modo sobre Deus que o nome dEle é honrado  e engradecido? Ou o contrário?

 

2. Teria sido muito mais fácil para Deus não nos ter revelado o Seu nome, ou nomes: Jeová (nome “pessoal” - Eu Sou o que Sou), Elohim (Deus), El Shaddai ( Deus Todo-Poderoso), Adonai (Senhor).
Não haveria perigo de ser usado em vão.
Mas Ele quis nos dar o privilégio de HONRAR o nome dEle.
Foi por pura graça que Ele nos revelou o nome dEle.
Mas há uma condição: todos precisam ter cuidado e zelo por esse nome.

 

Como aplicar hoje este mandamento? Vejamos os 4 aspectos comentados:

 

1) Jurar falsamente, citando o nome de Deus.

Aqui há uma pequena dificuldade: Mt 5.33-37

Juramento: propósito de dar veracidade a uma afirmação importante e solene.

Os judeus inventaram uma maneira de jurar, sem ter muito valor: Mt 23.16-22

Jesus ensina que qualquer tipo de juramento, em última análise, é em nome de Deus.

E que juramentos corriqueiros e irresponsáveis não tinha sentido.

O melhor é parar esse costume e não jurar.

 

Essa ordem é radical e absoluta?

Alguns acham que sim: que Jesus proibiu totalmente qualquer tipo de juramento.

Outros acham que Ele proibiu apenas juramentos levianos e frequentes (falsos ou irreverentes, sem levar a consideração a seriedade de envolver o nome de Deus).

 

Pelo texto, parece que Ele tinha em vista a proibição total de qualquer tipo de juramento.

Mas, é importante considerar:

* O próprio Deus jurou: At 2.30; Hb 6.17

* O próprio Jesus Cristo falou sob juramento: Mt 26.63-64

* Paulo tomou o nome de de Deus para dar veracidade à sua afirmação, ou seja, JUROU: Rm 1.9; 9.1; 2Co 1.23; Fp 1.8

* O autor de Hebreus falou normalmente de juramentos, sem restrição: Hb 6.16

 

Talvez seja prudente evitar juramentos, mas não de modo absoluto, e quando fizer, ter muito cuidado e plena consciência da seriedade.

 

2) Desrespeitar o nome de Deus, usando-o de modo irreverente, leviano

Blasfêmia: nem perderemos tempo dizendo o quanto é grave.

O problema é quando somos irreverentes com o nome de Deus quase sem sentir.

Ex: Deus me livre. Se Deus quiser. Graças a Deus. Deus lhe pague.

Todas são expressões boas e podem ser bem utilizadas. Mas já viraram rotina, mesmo para os descrentes. Tenhamos cuidado!

 

3) Ensinar teologia ou doutrina errada dizendo ser de Deus

É muito grave ensinar doutrina falsa dizendo que é de Deus.

Vemos aqui duas coisas:

a) Responsabilidade de quem prega ou ensina

b) Perigo de nos juntarmos ou ouvir quem sabemos ensinar doutrinas erradas. Eles estão irritanto, ofendendo a Deus com essas doutrinas. Não serão tidos por inocentes.

 

4) Ter comportamento ético e moral contra os padrões de Deus dizendo ser dEle

Conheci um homem que batia na mulher dizendo ser conforme a Bíblia, pois o fazia com amor. É como se dissesse: “Deus aprova!”

Nosso comportamento deve ser absolutamente coerente com o que Deus diz.

E quando falharmos? Reconheçamos diante dEle que pecamos.

 

Que Deus nos ajude a não tomar o nome dEle em vão.

Aliás, ao contrário, a HONRAR o santíssimo nome dEle. Amém

Mauro Clark, 67 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2019
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2019 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b