PREGAÇÃO

Casal gêmeo

Mauro Clark | 24/01/2014
40 minutos

headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close Casal gêmeo
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior


Quando se fala em gêmeo, a primeira ideia que vem é que se parecem muito.

E hoje estamos aqui como casais gêmeos, um parecendo com o outro.

Partindo dessa brincadeira, quero aproveitar para refletir um pouco sobre essa questão do casal se parecer um com o outro.

 

Grande parte de pregações e livros sobre casais falam das diferenças: marido é o cabeça, mulher submissa; mulher é a parte mais frágil.

Mesmo na literatura secular: homens são de Vênus, mulheres são de Marte, etc.

Pois hoje comentaremos sobre áreas em que seria excelente que marido e mulher fossem absolutamente iguais, gêmeos mesmo.

 

Não é uma pregação, mas uma palestra prática, com base no princípios bíblicos.

De saída, veja um princípio que norteia a questão de convivência mútua: Am 3.3

 

Se isso é válido para um simples andar numa estrada, imagine para uma vida inteira de convivência diária, intima, complexa.

Essa expressão “de acordo” deve ser uma constante na vida a dois.

Aliás, mais do que “deve”, TEM de ser, começando com a densidade do colchão!

 

Deixando de lado os detalhes, quero comentar sobre CINCO áreas da vida conjugal em que é imprescindível que o “de acordo” esteja presente para a felicidade do casal:

 

Educação de filhos

Este é um dos pontos mais sujeitos a atrito num casamento.

O marido teve uma educação diferente da esposa.

Cada um tenderá a imitar os pais no que achou de bom e rejeitar o que não gostou.

Ou seja, cada um terá seus próprios critérios. Se coincidir, ótimo. Se não, haja discussão.

O ideal é encontrarem pontos em comum. Quanto mais pontos, melhor.

Se for uma convivência sábia regada com diálogos, esses pontos aumentarão, os critérios dos pais vão ficando para trás e o casal traçando os seus próprios, de comum acordo.

Até ficarem parecidíssimos um com o outro!

 

Maneira de ter renda

Este ponto não existiria se esta palestra fosse há quarenta, cinquenta anos.

- Renda? É com o marido, claro! A mulher tomava conta da casa e dos filhos.

 

Mas hoje a renda da esposa adquiriu um peso razoável em muitos lares.

Embora tenha efeitos bons, os riscos dos negativos são muitos e merecem cuidado.

O assunto é complexo e não é possível explorar em detalhes agora.

Dentro no tema, quero apenas sugerir uma: entrem em acordo.

Não um acordo do tipo “Quanto mais renda melhor, é claro!”. Não é nada de claro.

O acordo deve ser fruto de análises bem feitas, reflexões, à luz de princípios bíblicos.

 

Parece que a mulher virtuosa de Pv 31 andava afinada com marido quanto à maneira de contribuir com a renda do casal, pois o marido andava bem satisfeito com ela: v.11-12

Certamente a aprovação dele incluía o fato de que ela dava bom andamento à casa: v.27

 

Além da questão do trabalho da esposa, a própria forma de trabalho do marido pode causar discussões, frustração, desarmonia.

Muitas mulheres reclamam da dedicação exagerada do marido ao ganhar o pão.

Ele discorda, diz que é o peso da responsabilidade, a luta pela vida, amor pelos filhos, etc

Procurem um jeito de diminuir essa diferença para se tornarem gêmeos nisso.

 

Trato do dinheiro

Fonte de problema num lar: o modo diferente de manejar o dinheiro (muito ou pouco).

O mais econômico acha que o outro é gastador. E este acha que o outro é pão-duro.

É um ambiente propício para críticas, acusações, mágoas, um termina julgando o outro.

E não é sábio condenar alguém porque tem costumes diferentes dos seus: Rm 14.3

 

“Quer dizer que o marido deve tentar convencer a esposa a ficar igual a ele, e v.versa?” Negativo! Essa é a pior da ideias.

Aliás, em qualquer área do casamento isso não funciona.

 

Sugestão: estabelecer CRITÉRIOS de economizar e gastar, que ambos concordem.

Exemplos:

* Retirada de verba para cada um, que gastará como quiser.

* Tempo de trocar o carro: todo ano (como ele quer) ou até se acabar (como ela quer)?

* Viagem três vezes por ano (como ela quer) ou só nas bodas de prata (como ele quer)?

* Come fora mais todos os fins de semana num self-service modesto ou uma vez por mês no melhor da cidade?

Entrem em acordo. E parem de brigar sobre isso.

 

Maneira de gastar tempo livre

Em geral o casal tem boa quantidade de tempo livre (noites, sábados, feriados).

Os gostos variam e é natural que haja divergência na maneira de aplicar esse tempo.

 

Um gosta de praia, outro de sítio. Um, de livraria; o outro, de supermercado;

Um, de andar; o outro, de rede.

Tudo bem, vamos alugar filme. Ótimo, chegaram a um acordo!

Mas que filme? E começa tudo de novo: um gosta de filme históricos verídicos, outro de comédias românticas. Novo impasse.

 

Sugestão: mesmo princípio do assunto anterior: critérios.

Uma fim de semana vão à praia para agradar a esposa no outro para onde o marido quer; Já no outro, se separam por um tempo.

E os filmes? Simples: reveza no gosto de cada um.

Lembrem: mesmo que diferenças continuem, o fato de terem critério já os tornam unidos em alguns pontos.

 

Objetivos espirituais (de longe o mais importante):

Seria ótimo se ambos tivessem os mesmos objetivos espirituais para cada um, para o casal e para a família como um todo.

Claro que frequentarem a mesma igreja contribui para isso, pois estão ouvindo as mesmas pregações, aulas, etc.

Além disso, seria bom lerem alguns livros em comum, orarem juntos (ou por coisas em comum) e especialmente CONVERSAREM bastante sobre as coisas do alto.

Essas conversas ajudarão o casal a convergir para os mesmos valores e princípios.

É uma delícia a vida do casal que é gêmeo espiritual: alvos iguais, troca de ideias saudável, orações parecidas, companheirismo no sofrimento, gozo de vitórias.

 

Termino com:

1Pe 3.7: mesma graça de vida: pode estar se referindo à vida física, na terra.

Ou seja, querendo ou não, achando bom ou não, o casal é gêmeo no viver do dia a dia!

Pois peça a Deus sabedoria para se você se tornar gêmeo com o seu com não apenas por dormir na mesma cama, comer o mesmo café da manhã, morar na mesma casa, pagar o mesmo aluguel, ter os mesmos filhos.

Mas gêmeos também em áreas cruciais do casamento, transformando a rotina do dia-a-dia numa delícia de vida em comum, uma vida conjugal que agrade profundamente o Senhor Jesus Cristo, imitando o casamento dEle com a Igreja.

 

Que Deus nos abençoe. Amém

Mauro Clark, 67 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2019
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2019 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b