PREGAÇÃO

Depois? E haverá depois?

Tg 4.13-17      48 minutos      03/01/2016         

Mauro Clark


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close Depois? E haverá depois?
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior


13 Atendei, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos para a cidade tal, e lá passaremos um ano, e negociaremos, e teremos lucros.
14 Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa.
15 Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo.
16 Agora, entretanto, vos jactais das vossas arrogantes pretensões. Toda jactância semelhante a essa é maligna.
17 Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando.
###########

 

v.13

Tiago se dirige a uma classe bem definida de pessoas: as que traçam planos em detalhes, mas à parte de Deus.

Pelo v.17, parece que se dirigia aos seus leitores crentes (de fato ou nominais).

Conforme o plano imaginado por Tiago, a pessoa determina:

* a data de uma certa viagem

* destino exato da viagem

* o tempo que passará na tal cidade, no caso, um ano

* a atividade que desempenhará lá e o resultado da atividade, no caso, lucro.

 

v.14

Tiago evidencia a falta de sentido e a insensatez de tal procedimento.

vós não sabeis o que sucederá amanhã

Frase dura de ouvir. E desconcertante.

Afinal, somos homens inteligentes, racionais, conquistamos o espaço, progredimos muito na ciência, inventamos maravilhas tecnológicas.

E não sabemos o que ocorrerá amanhã?

É fato. Só nos resta ouvir e engolir em seco.

E ele poderia até ter sido mais duro: “não sabeis o que sucederá daqui a um minuto!

Ora, se não sabemos o que ocorrerá daqui a um minuto, ou 1 dia, imagine 365 dias!

Salomão disse em Pv 27.1: Não te glories no dia de amanhã, porque não sabes o que trará à luz.

 

Tiago aprofunda o assunto:

Que é a vossa vida? Sois apenas como neblina, que aparece por um instante e logo se dissipa

Se eu soubesse que viveria mais 10 anos, mesmo sem saber O QUE me ocorreria nesse período, pelo menos saberia o prazo da minha vida.

Mas a situação é bem mais precária: além de não saber o que vai me ocorrer daqui a um mês, eu nem sei se estarei vivo daqui a um mês, pois posso sumir de repente!

Ou seja, além de não sabermos o futuro, não sabemos nem se haverá futuro.

 

Fica evidente o tamanho da insensatez de agir assim.

Até um ateu concordaria com isso, pois é lógico.

 

Mas, e qual a solução para esse tipo de atitude arrogante?

À parte de Deus, seria algo como: Seja mais prudente ao falar do futuro, mais humilde.

Acho que até nosso amigo ateu também concordaria aqui.

 

Mas será esta a solução bíblica?

v.15

Em vez disso deveríeis dizer: se o Senhor quiser...

Claro que a prudência e a humildade continuam presentes aqui, mas agora submissos a uma realidade muito maior: a existência de Deus!

E, pela própria definição, se Deus é Deus, então Ele é quem comanda tudo, até os nossos planos e projetos.  

Então a solução bíblica é reconhecer, humildemente, que nossos planos só se realizarão se o Senhor quiser.

 

Obviamente nosso amigo ateu já não concorda mais e pulou fora dessa solução.

 

Só que muitos não são ateus, até se dizem “cristãos”, mas tratam a questão da soberania de Deus de maneira fria, racional, quase aborrecida: “Ah, que tudo está nas mãos de Deus, isso eu já sei.”

Esses não entenderam o espírito da exortação de Tiago, que não se conforma com esse tipo de reconhecimento teórico, estéril.

Mostra a necessidade de uma consulta constante a Deus, uma dependência humilde e consciente, que gere confissão de pequenez e incapacidade sem a ajuda divina.

 

... não só viveremos...

E mais: não apenas nossos planos dependem do Senhor querer, mas toda a nossa vida!

Mesmo que não planejemos coisa alguma, o que ocorre no nosso dia a dia depende da vontade do Senhor.

Cada vez que você respira, é porque Deus quis!

 

Talvez a atitude que mais deveríamos ter no coração, todo dia, é: SE O SENHOR QUISER (não como mera expressão).

 

... como faremos isto ou aquilo

Após reconhecer que a própria vida depende de Deus, evidentemente o próximo passo é levar a vontade de Deus para a realização dos planos.

 

Tiago não está recriminando a existência de planos. É fundamental termos projetos.

Aliás, é tolice e imprudência não tê-los.

Jesus disse: Lc 14.26-32 (assunto: ao se decidir seguí-Lo, é importante calcular o custo).

 

Voltando: devemos planejar, sim.

O problema é planejar sem considerar a vontade de Deus, mesmo crendo que Ele existe.

 

v.16

Após a solução, volta a repreender, agora de modo mais duro.

Além de não considerarem Deus em seus planos, alguns estava se gabando da ousadia de seus planos.

vos jactais: καυχαομαι kauchaomai: gloriar-se, gabar-se

... arrogantes pretensões: gr.: αλαζονεια alazoneia: “Conversa de fanfarrão; uma certeza insolente e vazia, arrogância, presunção ímpia e vazia, que confia em seu próprio poder e recursos, que despreza e viola vergonhosamente a lei divina” - Strong

“Um estado de orgulho ou arrogância, mas com falta de base para tal atitude”- Louw-Nida.

 

O homem gosta de se gabar da inteligência, da astúcia, da coragem, da ousadia.

Na base, está o grande pecado do homem: egocentrismo, que gera independência - o grande mal do homem é querer ser independente de Deus.

Enquanto agir assim, estará ofendendo a Deus.

Tiago coloca de modo direto:

toda jactância semelhante a esta é maligna

Ou seja, vem do Diabo, é pecado, afasta de Deus.

 

v.17

Encerra o assunto com um princípio geral, que serve para todas as áreas da vida:

aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz, nisso está pecando

No contexto: “Aquele que se planeja e se gaba de coisas futuras como se fossem garantidas, sem levar Deus em consideração, está pecando”.

Conforme comentei, Tiago devia ter crentes em mente aqui, crentes tão arraigados com o mundo que praticamente desconsideram Deus em seus planos. Fica o alerta.

 

Mas quero finalizar com uma palavra para quem não confia em Cristo como Salvador.

O problema da fragilidade da vida torna-se muito mais grave do que apenas fazer planos com arrogância, à parte de Deus.

Se a vida é tão frágil e se há um Deus que comanda o início e o fim da vida, então é insensatez não se entender com esse Deus quanto ao período pós-morte!

Esse entendimento com Deus todo crente já fez, em Cristo.

 

Mas e você, amigo? Cuidado! A sua vida é frágil como uma neblina.

Num abrir e piscar de olhos, você estará diante do Criador para prestar contas.

E há apenas uma possibilidade de Deus aceitar essa prestação de contas: em Cristo.

Não se iluda com “Depois penso nisso”. Afina, você garante que haverá “depois”?

 

Que Deus nos abençoe. Amém

Mauro Clark, 69 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2021
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2021 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b