PREGAÇÃO

Minha tribulação? Leve e momentânea! (Série 2 CORÍNTIOS 17 de 54)

2Co 4.16-18      55 minutos      28/09/2014         

Mauro Clark


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close Minha tribulação? Leve e momentânea! (Série 2 CORÍNTIOS 17 de 54)
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior

Por isso, não desanimamos

Por isso... isso o que?

O que falara nos versos anteriores: a certeza da ressurreição em Cristo, o fato de sermos muito amados por Deus, a graça de Deus frequentemente derramada sobre nós e a oportunidade de sermos gratos e contribuirmos para a glória de Deus.

 

... não desanimamos

É a terceira vez que Paulo afirma neste capítulo que não desanima (v.1 e 8).

É como se estivesse altamente impressionado com a ideia de não desanimar!

Por que tanta insistência?

- mostrar aos irmãos a força da sua convicção de que era apóstolo autêntico

- desencorajar os opositores

- manter a si mesmo animado

Este é um tipo de pensamento que deve “colar” em nossa mente: “Não vou desanimar!”

 

Pelo contrário...

Quando disse “por isso”, Paulo olhou para trás.

Agora olha para a frente, dando um novo motivo para não desanimar:

 

... mesmo que o homem exterior se corrompa

homem exterior: corpo e mente que compõem o homem terreno.

... se corrompa

corromper: διαφθειρω diaphtheiro: mudar para pior, corromper, destruir, arruinar

consumir, matar

 

Afirmação que dispensa prova: cada um sente no próprio corpo.

Isso é cumprimento do “Ao pó voltarás”. No dia em que nascemos, começamos a morrer.

 

... contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia.

homem interior: mente, alma, espírito que compõem o homem nascido de novo

se renova: ανακαινοω anakainoo: “fazer crescer, renovar, tornar novo; nova força e vigor dado a alguém, ser mudado para um novo tipo de vida oposto ao estado corrupto anterior”

 

Impressionante: no caso do crente, o envelhecimento do homem terreno deve ser acompanhado de um fator inverso: o rejuvenescimento do homem espiritual.

 

... de dia em dia:

Esse processo de renovação da alma não termina, só tende a aumentar com a idade. Quanto mais velho o corpo, mais jovem deve ficar o ser espiritual em que nos tornamos.

 

O efeito psicológico disso no crente deve ser fantástico.

O aumento da idade traz fraqueza, debilidade, doenças e, pior, falta de objetivo na vida. Tudo é passado. Viver mais um dia é o grande alvo. Isso causa desânimo, depressão.

 

Mas o crente tem uma ferramenta poderosíssima para CONTRABALANÇAR tudo isso!

Aliás, mais do que contrabalançar, mas SUPLANTAR tudo isso.

Ele tem um objetivo, sim, um alvo espetacular: ir renovando o seu espírito.

Quanto mais velho fica, mais o espírito se renova.

 

Do que consiste essa renovação?

Cl 3.10

Refaz: mesmo verbo traduzido por “renovar” no nosso texto.

NVI: ... e se revestiram do novo, o qual está sendo renovado em conhecimento, à imagem do seu Criador.

 

Renovar o homem interior é ir conhecendo cada vez melhor as coisas do alto e se tornando cada vez mais parecido com Deus!

 

Detalhe importante: esse processo de renovação espiritual não começa apenas na velhice, mas desde a conversão.

 

Prosseguindo, se já era ótimo Paulo ter colocado uma nova perspectiva para o crente, que o ajuda a enfrentar o desgaste do corpo, agora ele diz algo muito mais espetacular:

 

v.17

Duas coisas aqui:

1. Essa renovação do homem interior, embora feita aqui na terra, visa a eternidade.

2. O desgaste do físico, os sofrimentos aqui desta vida (especialmente os que são por causa de Cristo) são matéria prima, produzem o crescimento espiritual que nos prepararão para a viver a eternidade.

 

leve e momentânea tribulação:

- Paulo, você chama toda a dureza e sofrimento da vida de leve e momentânea?

Tenha paciência, senhor apóstolo! O senhor não sabe o que é sofrimento, não?

 

Essa seria a pergunta mais injusta que alguém poderia fazer àquele servo de Deus!

Paulo conhecia MUITO sofrimento, sim. Mais do que você imagina: 2Co 11.16-33.

 

Quando ele chama “leve e momentânea” está comparando o peso, o valor dos sofrimentos aqui com o peso, o valor da glória que teremos no céu.

Veja o jogo de palavras:

tribulação x glória

leve x peso

momentânea x eterna

 

Tres coisas sobre o sofrimento:

1. É matéria prima para a GLÓRIA no céu.

E que glória: acima de toda comparação: υπερβολη εις υπερβολη: huperbole eis huperbole.

huperballo: lit.: lançar além (huper + ballo); metáf.: sem medida, excessivamente

A repetição é tão forte que é difícil traduzir. Algo como: “Eterno peso de glória, excessivamente excessivo!”

 

Uns vislumbres dessa glória: Dn 12.3; Mt 13.43; 1Co 15.40-50

 

2. Parece leve, pois a glória no céu será consistente, terá peso

3. É momentâneo, comparado com a glória no céu, que será eterna: Ap 21:3–5,22,23

 

(Sofrimento: em vista principalmente os por causa de Cristo, mas não exclusivamente. Acho que também se aplica a qualquer sofrimento que o crente inclua Cristo).

 

Após o ensino no v.17, Paulo passa para uma exortação prática:

 

v.18

atentando: σκοπεω skopeo: olhar para, prestar atenção.

coisas que se vêem: a realidade e valores desta vida

temporais: provisórias

coisas que se não vêem: espirituais, celestiais

eternas: sem fim

 

O problema é que prestar demasiada atenção nas coisas daqui é exatamente uma forte tendência que temos!

Somos tão agarrados com a vida aqui, que consideramos as coisas do alto como remotas, longe, vagas.

Desse forma, a glória futura parece remota, longe, vaga.

E o sofrimento daqui parece ENORME, pesado, que não tem fim!

E se de fato o nosso referencial são as coisas daqui, então os sofrimentos de fato serão enorme, duradouros.

Mas quando mudamos o referencial e tomamos como nova referência a glória belíssima e eterna que teremos no céu como referência, então as coisas daqui parecerão diminutas!

 

Irmão, é muito forte a influência em nossa mente do envelhecimento físico, aparência, dores, desconfortos, cansaços, falta de memória, etc.

Mas se recuse a deixar que isso tome conta de você e lhe desanime.

Este era o segredo de Paulo para não desanimar: COMPARAR as coisas daqui com o depois da vida!

Mude de referencial.

Quando se ver no espelho, pense: “Isso é leve e rápido, o que me interessa mais é o que será eterno e glorioso!”

Sua vida será mais fácil, sua cruz mais leve de ser carregada.

 

Amigo:

No início eu disse que “o envelhecimento do corpo do crente deve ser acompanhado do rejuvenescimento do espírito!”

Por que enfatizei “do crente”? Isso não vale para o não crente? Infelizmente, não!

Ele é morto espiritualmente, sua perspectiva é o inferno.

Como disse alguém: “A decadência terrena de alguém sem Cristo é melancólica, pois é a decadência de tudo”.

Antes de falar em rejuvenescer o espírito, tem de ter vida espiritual, nascer de novo.

Pois vá a Cristo e obtenha esta vida!

 

Que Deus nos abençoe. Amém

Mauro Clark, 69 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2021
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2021 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b