PREGAÇÃO

DIA DOS PAIS - Que Pai!

Mt 7.7-11      34 minutos      09/08/2015         

Mauro Clark


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close DIA DOS PAIS - Que Pai!
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior
v.7-8

Jesus firma o princípio de que oração funciona: quem pede a Deus, recebe.

 

v.9-10

E explica a lógica por trás do princípio.

O esperado de um pai é dar o que o filho pediu (sendo algo razoável - como um pão, um peixe - que indicam fome, ou qualquer outro mas em circunstâncias razoáveis).

É totalmente anormal, até cruel, o pai dar algo parecido com que o filho pediu, mas altamente nocivo - imagine uma criança mordendo uma pedra pensando que é pão, ou uma posta de cascavel pensando que é um pargo!)

 

Só esse ponto é suficiente para pensarmos na bênção que Deus deu a cada um que teve ou tem um pai que o criou, educou, manteve, instruiu, encaminhou para a vida.

E nada melhor que fazer isso hoje, Dia dos Pais.

Se parasse aqui já teria feito uma reflexão com base na Bíblia sobre os pais, incitando-nos a sermos gratos aos nossos pais por tudo o que fizeram e fazem por nós, e gratos a Deus que deu o pai que cada um tem.

 

Mas as palavras de Jesus não param no v.10, indicando que Ele não queria apenas falar do cuidado dos pais terrenos pelos seus filhos.

Ele usou a figura do pai terreno como um TRAMPOLIM para falar de uma figura paterna muitíssimo superior: o Pai celeste.

 

Vamos dividir o v.11 em duas partes:

v.11a

... se vós, que sois maus...

Maus??? Sim, Jesus aqui fala da natureza do coração de todo ser humano, que nasceu pecador desde que Adão pecou.

Este ensino é fundamental para que se entenda a própria mensagem do Evangelho!

A natureza do homem é corrompida, estragada, não faz o bem como conduta de vida.

Sim, pratica atos de bondade, mas de maneira esporádica, incompleta e misturada com egoísmo, interesse próprio, etc.

 

Sempre achei espetacular a franqueza e naturalidade com que a Bíblia coloca os homens no seu devido lugar. (Ao mesmo tempo em que sugere a solução - Cristo!)

 

O fato é que, como falei, mesmo sendo maus, os humanos praticam atos de bondade.

Como o próprio Jesus reconhece no restante da frase:

 

... sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos...

Embora tenha herdado uma natureza pecadora após o pecado de Adão, os homens ainda tem resquícios da imagem e semelhança do Criador, com que foram criados.

Qualquer ato de bondade que alguém faça, é resquício disso, mesmo vindo de uma natureza corrompida no âmago.

 

Na 2ª. parte da frase, Jesus parte para a conclusão do raciocínio:

 

v.11b

... quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem?

O contraste é óbvio: homens maus x um Pai bondoso que está no céu.

(A bondade do Pai aqui é implícita, mas há afirmações explícitas, tipo Lc 18.19)

 

Ora, se homens maus dão coisas boas aos filhos, quando mais um Deus totalmente bom.

 

Três observações, sempre olhando para o contraste:

 

1. Mesmo dando coisas boas aos filhos, não significa que os pais nunca dão ou fazem coisas ruins. Pode até ser sem intenção, mas infelizmente nós pais fazemos coisas erradas com os filhos, os prejudicamos e atrapalhamos.

Já o nosso Pai celeste, nunca fez algo errado conosco - nem em pensamento! Rm 8.28

 

2. As coisas “boas” dadas pelos falhos pais terrenos, não se comparam com a qualidade das coisas “boas” dadas por um Pai divino, Todo-Poderoso e totalmente bom. Tg 1.17-18

 

 

3. Até as coisas boas que os pais terrenos fazem, podem ser consideradas como tendo como origem o Pai celeste. Afinal, Ele é um Deus soberano e só nos acontece o que Ele autoriza. Ou seja, os pais terrenos são INSTRUMENTOS nas mãos do Pai celeste.

 

Conclusões:

1. É muito bom termos hoje (ou no passado) um pai aqui na terra.

Mesmo sabendo que não foram pais perfeitos e erraram muito conosco, também nos deram coisas boas e muito nos ajudaram.

Portanto, sejamos largos e gratos a eles por tudo o que fazem ou fizeram por nós.

 

2. Sejamos gratos a Deus que nos deu o nosso pai.

 

3. Nós, crentes em Cristo, gozamos do privilégio de ter um Pai no céu, muito maior e melhor em todos os aspectos. Todas as coisas que nos dá são boas e nunca nos deu uma coisa má.

Tenhamos então com esse Pai uma gratidão infinitamente maior do que temos com o nosso pai terreno. E grande EXPECTATIVA de encontra-Lo!

 

E você, amigo, se ainda não tem Cristo como o seu Salvador, infelizmente não é filho do Pai celeste.

Vá a Cristo e imediatamente se torne filho do Pai celestial.

Então você enxergará de um ângulo muito mais profundo, mais alegre, mais gostoso, o Dia dos Pais!

 

Que Deus nos abençoe. Amém.

Mauro Clark, 69 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2021
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2021 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b