PREGAÇÃO

Consolando uns aos outros

1Ts 3.1-10      58 minutos      25/04/2021         

Mauro Clark


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close Consolando uns aos outros
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior

Paulo se dirige a irmãos que amava muito, e estavam sofrendo perseguições: 2.14.

E isso o deixava muito aflito, pois aqueles irmãos eram a sua alegria (2.20).

E aqui está o ponto de partida para a iniciativa de Paulo em enviar Timóteo: o grande significado que aqueles irmãos tinham para ele.

 

Começo com algumas perguntas e espero que fiquem na sua mente durante a pregação:

O que os irmãos da IBLM representam para você?

O que você sente no íntimo quando vê um deles (nos cultos, na rua, etc.)?

Sente alegria? Considera-o realmente como parte integrante da sua família na fé?

Existe alguma diferença entre encontrar um desses irmãos e conhecido descrente?

 

v. 3.1-3a

O amor que Paulo sentia por aqueles irmãos gerou nele uma inquietante preocupação pelo bem-estar deles.

E toma uma atitude: manda Timóteo. Mas, enviou exatamente para que?

Timóteo tinha uma missão dupla.

Antes de examinar, destaco uma expressão que Paulo colocou expressando todo o propósito da missão de Timóteo.

Em benefício da vossa fé

Todo o plano de Paulo, executado por Timóteo, tinha na base o propósito de ser benéfico à fé dos irmãos.

Este é um segredo para cada crente: ser benéfico!

 

Quanto ao propósito duplo da missão de Timóteo:

1. Ajudá-los lá mesmo no que eles precisassem

Para isso, duas providências:

I. Confirmar-vos (NIV: fortalecê-los)

Grego: στηριζω sterizo: tornar estável, fortalecer, estabelecer, confirmar.

A ideia não é bem checar com estava a fé deles, mas de fazer o que fosse preciso para fortalecer, tornar ainda mais firme a fé dos irmãos.

 

II. exortar-vos (NIV: dar-lhes ânimo)

Grego: παρακαλεω parakaleo: chamar para o lado, visando exortar, apelar, confortar, animar, consolar, instruir.

Talvez vários sentidos fossem aplicados àqueles irmãos.

 

Deveria haver um resultado prático, talvez até rápido, do trabalho de Timóteo:

... a fim de que ninguém se inquiete com estas tribulações. (NVI: abalado)

É claríssimo na Bíblia que a inquietude é nociva ao crente, deve ser evitada a todo custo.

E uma forma prática de evitar é ser fortalecido ou firmado, e consolado, animado.

E, naquele contexto, esse papel caberia a Timóteo.

 

Que honra, ter a missão de tirar ou diminuir a inquietude de um irmão ou um de grupo!

E essa honra não é exclusive aos pastores. Qualquer um pode fazer isso!

 

v.3b-4

Como se dissesse: “Eu falei que seria assim, como de fato foi.

E mais: nada mudará essa realidade, é um desígnio de Deus para nós. Não adianta se inquietar, entristecer, desanimar, desesperar”.

Ou seja: ao mesmo tempo em que providencia (via Timóteo) um alívio para a inquietude dos irmãos, Paulo diz algo um pouco perturbador, mas honesto e realista.

 

É muito claro o princípio bíblico de que o crente precisa saber de verdades duras e enfrentar a realidade.

Isso é benéfico e amadurece o crente. Jamais somos iludidos pela Palavra de Deus.

Agora, lembro que, ao mesmo tempo, Paulo tomou providências práticas para ajudá-los.

 

Lição evidente para pastores, professores, líderes: sejam francos com o povo de Deus, não iludam os irmãos com falsas promessas. Mas, ao mesmo tempo, procurem ajudá-los.

 

Segundo propósito da missão de Timóteo:

2. Ao retornar, levar uma relatório para Paulo

Após ver o estado da fé deles, no meio das tribulações, levaria um relatório para Paulo.

Paulo estava profundamente interessado no estado espiritual dos irmãos.

Esse receio incluía que Satanás fizesse um trabalho maligno no meio deles.

 

Se os seus irmãos em Cristo são sua alegria, é natural que você esteja preocupado com o estado espiritual deles - não apenas o pastor.

E essa preocupação se mostrará realmente genuína se gerar ajuda prática da sua parte, sempre em benefício da fé do irmão.

Feliz da igreja cujos membros são a a alegria uns dos outros.

Feliz da igreja cujos membros estão preocupados com o bem espiritual dos demais.

 

v.5: quase repetição dos v.1-2.

v.6a: Timóteo realiza a sua missão, volta e conta tudo a Paulo: um ótimo relatório.

O relatório constou de uma parte formal (técnica) e outra bem pessoal referente a Paulo.

... trazendo-nos boas notícias da vossa fé e do vosso amor

Quanto à parte formal, sim os irmãos estavam saudáveis na e no amor. Que dupla!

 

Mas Timóteo também tinha boas notícias de ordem particular para Paulo:

.. e ainda de que sempre guardais grata lembrança de nós, desejando muito ver-nos

Notícia extremamente agradável, colhendo o fruto do que plantara entre os irmãos.

 

Seja qual for o seu serviço a Cristo, faça com seriedade, amor, dedicação.

Você colherá frutos benignos e agradáveis a você.

Mesmo não sendo nesta vida, certamente está incluido no seu tesouro guardado no céu.

 

v.6b-10

Resumindo o final do texto, sobre os sentimentos e atitudes de Paulo com relação a eles.

* Paulo desejava muito ver os irmãos

* A notícia da fé dos irmãos consolou Paulo no meio das tribulações dele.

Interessante: Paulo enviou Timóteo para consolar os irmãos e ele próprio, Paulo, é que terminou sendo consolado pela noticia da fé deles (Consolar: mesmo verbo do v.2).

E além de consolado, animado, sentindo-se mais “vivo”.

O grande Paulo era igual aos outros, sujeito a tristezas, depressões, causadas pelas tribulações que também sofria.

E também precisava da ajuda, de ânimo vindos de fora.

 

Coisa linda de observar na vida do grande apóstolo.

Mas essa é uma das belezas da vida cristã: uns ajudando aos outros.

Às vezes vamos consolar alguém e descobrimos que nós é que precisávamos de consolo!

Não há grande, não há pequeno. Não há melhor, não há pior.

Todos somos um no Senhor Jesus Cristo, parte de um mesmo corpo e igualmente necessitados uns dos outros

 

Voltando:

* Paulo correu para Deus e foi orar, ou melhor, continuar orando, pois era seu costume.

Oração composta de agradecimento pelos irmãos que lhe davam tanta alegria.

 

Você tem o costume de agradecer a Deus pelos irmãos da sua igreja? Nominalmente?

 

Paulo também incluía um pedido na oração: ver novamente os irmãos.

Não penas pelo óbvio prazer e alegria de vê-los.

Mas também para reparar as deficiências da vossa fé.

Veja o “lado pastor” de Paulo: mesmo com boas notícias da fé deles, ainda havia alguns defeitos a serem reparados (exemplo: doutrina da ressurreição dos crentes, 4.13-18).

 

Sejam pacientes e compreensivos com os seus pastores, que estão sempre corrigindo, exortando, até mesmo “dando carão”.

Faz parte do nosso ministério e espero que mostre amor e interesse por vocês.

 

Que Deus nos abençoe. Amém!

Mauro Clark, 69 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2021
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2021 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b