PREGAÇÃO

Deus me garante socorro! (Série 2 CORÍNTIOS 27 de 54)

2Co 6.1-2      55 minutos      01/03/2015         

Mauro Clark


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close Deus me garante socorro! (Série 2 CORÍNTIOS 27 de 54)
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior

No v. 20 Paulo fez o seguinte apelo:

Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus

 

Na sequencia do texto, ele repete o apelo, só que mudando algumas coisas e introduzindo um elemento crucial para quem ouve o Evangelho.

 

v.1

E nós, na qualidade de COOPERADORES com ele...

Antes, Paulo falou que os crentes são embaixadores em nome de Cristo - já explicamos.

Agora, introduz um NOVO CONCEITO quanto à relação dos crentes com Deus.

 

cooperadores: συνεργεω sunergeo: sun (unido com) + ergow: trabalho, tarefa = trabalhar junto, ajudar no trabalho, ser parceiro no labor, juntar as forças com, ajudar.

Esse termo Paulo usou para os seus companheiros no trabalho de Deus:

Epafrodito: Fp 2.25; Filemon: Fm 1; Tito: 2Co 8.23

 

Veja o passo que Paulo dá aqui: antes disse que somos embaixadores de Cristo.

É uma função honrosa, sem dúvida, mas designada por um superior a quem temos de prestar contas. Há uma grande distância entre o embaixador e aquele que o envia.

Agora o termo demonstra muito mais intimidade.

Somos unidos com Deus num mesmo trabalho. Ele trabalha e nós O “ajudamos”.

 

Essa é uma noção belíssima!

Especialmente quando somos informados pelo próprio Jesus que o grande cooperador com o Pai é Ele próprio:

Jo 5.17: Meu Pai trabalha até agora e eu trabalho também

... trabalha: εργαζομαι ergazomai: variação de ergow, trabalho, visto acima.

 

Como se Jesus tivesse dito: “Todos vocês que se reconciliaram com Deus por meu intermédio, juntem-se a mim, no trabalho que faço juntamente com o Pai. Vamos todos trabalhar juntos!”

 

Na realidade, nosso texto não é o único em que crentes são chamados de cooperadores de Deus: 1Co 3.9

 

Mas o que Paulo faz na qualidade de cooperador com Deus?

... também vos exortamos...

... TAMBÉM vos exortamos: “Além de exortação anterior, de que se reconcilieis com Deus, temos mais uma exortação”:

 

... que não recebais em vão a graça de Deus

Antes de tudo, é importante esclarecer que esta passagem NÃO significa que é possível  alguém receber a graça de fé, exercê-la em Cristo, ser salvo e depois verificar que tudo isso foi em vão, não serviu e a pessoa voltou a ser perdida.

A salvação é um novo nascimento, irreversível. A graça salvadora de Deus é irresistível!

 

Para saber O QUE significa, é importante entender o que significam duas coisas:

1.  “graça de Deus” neste contexto.

A proposta de reconciliar-se com o pecador via Cristo, ou seja, a oferta do Evangelho, a possibilidade de salvação por tudo o que Cristo fez.

 

2. receber em vão

O que significa exatamente “receber em vão”? Há várias interpretações.

Penso o seguinte:  

receber: δεχομαι dechomai: sentido básico é mesmo “receber”, segurar, pegar.

Mas tem vários sentidos e nuances, inclusive “aprender” ou “acatar algo que ouviu”.

Em suma: entendo que aqui, “receber em vão a graça de Deus” é ouvir a oferta de salvação, até mesmo com atenção e respeito, fazer uma decisão, tornar-se praticante, envolver-se com a igreja,  mas não acatar no coração, não tomar para si, não se beneficiar com ela. Em suma, não passar pelo processo completo de transformação.

 

Paulo está se dirigindo a crentes ou a não crentes?

Acho que esta pergunta simplesmente não estava na mente dele.

Embora a carta fosse para a igreja, ele bem sabia que fazer parte de numa igreja cristã não significa ser salvo.

Que cada um refletisse sobre essa advertência conforme a própria situação.

 

A Bíblia fala de pessoas que aparentemente receberam a graça de Deus em vão:

Himeneu (1Tm 1.20; 2Tm 2.17),  o mágico Simão (At 8.9-24), Hb 6.4-8

Jesus falou disso na Parábola do Semeador: dos quatro tipos de solo, em dois a semente germina mas não se desenvolve, morre logo.

Esse é autoexame que o crente deve fazer durante toda a vida.

 

Paulo agora aborda outro aspecto do apelo, um fator fundamental: o tempo.

Um convite sem prazo é solto, indefinido, quase sem sentido.

Imagine um convite de casamento sem a data!

Ou um convite para jantar na casa de um amigo, sem dizer o dia.

 

É exatamente o que Paulo introduz agora.

Primeiro faz um apelo vigoroso e duplo - que o ouvinte se reconcilie com Deus e que não receba em vão a graça do Evangelho.

Agora ele precisa indicar a data marcada no convite.

Quem marca a data é quem faz o convite.

E como Deus é o autor do convite para que o pecador se reconcilie com Ele, seria o caso de perguntar:

- Mas Paulo, por quanto tempo devo me preparar para essa reconciliação. Ou: quando Deus estará disposto a realmente efetivar Sua reconciliação comigo?

Qual o prazo do convite?

 

v.2

Ele poderia responder pulando a citação de Is 49.8 e ir diretamente para:

eis, agora, o tempo sobremodo oportuno, eis, agora, o dia da salvação

 

Mas ele quis basear sua resposta numa passagem do AT, Is 49.8:

Eu te ouvi no tempo da oportunidade e te socorri no dia da salvação

 

Com base no AT, Paulo garante que Deus socorre a quem clama por ele e livra da morte do momento certo.

Detalhe: pelo contexto, é Deus falando com o Servo de Deus, o Messias!

 

Esta é uma passagem muito difícil, não apenas pela interpretação do próprio texto de Isaias, mas como explicar a citação de Paulo neste exato contexto.

De maneira geral, acham que Deus garante ao Messias que o apoiaria quando viesse encarnado, na missão de salvar o mundo.

E essa promessa feita a Cristo é extensiva a nós, os beneficiários da salvação.

 

Tenho uma sugestão pessoal para interpretar:

A promessa de “salvação” refere-se ao próprio Messias, não obviamente no sentido de salvação eterna dos pecados. Mas no sentido de salvação de alguma outra coisa, ou libertação.

E de fato o Messias, Jesus Cristo, pediu socorro da cruz (Mt 27.46) e clamou por libertação, no caso da morte física: Hb 5.7 (livrar: gr. σωζω sozo: salvar) 

E 850 anos antes, através de Isaías, Deus garante que socorreria o Messias naquele momento e de fato o livraria da permanência na morte, ou seja, o ressuscitou!

 

É como se Paulo usasse o exemplo de Jesus como uma garantia de que Deus atenderia todo e qualquer que clamasse por Ele.

E devidamente inspirado pelo Espírito Santo, Paulo teve a autoridade de citar um texto do VT aumentando a sua abrangência, do Messias para todos e aplicando o termo salvação para o sentido espiritual de salvação da morte eterna.

E, com essa mesma autoridade, ainda vai além, afirmando que não apenas é certo que Deus atende e salva a quem clama por Ele, mas que, ao chegar a hora oportuna para Ele,  faz isso IMEDIATAMENTE!

 

E então afirma com extrema ousadia:

... eis, AGORA, o tempo sobremodo oportuno, eis, AGORA, o dia da salvação

É como se alguém perguntasse:

- Tudo bem, Paulo, Isaias me garante que Deus me ouvirá no tempo da oportunidade. Mas quando é esse tempo?

Resposta: AGORA!

 

- E também sei que Deus me socorrerá no dia da salvação. Mas quando é esse dia?

resposta: AGORA!

 

E aqui está o elemento crucial para quem ouve o Evangelho, de que falei: a necessidade de se posicionar com URGÊNCIA!

Mas por que tanta urgência?

Próxima pregação.

 

Que Deus nos abençoe. Amém

Mauro Clark, 69 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2021
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2021 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b