PREGAÇÃO

Um ministério exemplar - 1a parte (Série 2 CORÍNTIOS 28 de 54)

2Co 6.3-7      57 minutos      22/03/2015         

Mauro Clark


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close Um ministério exemplar - 1a parte (Série 2 CORÍNTIOS 28 de 54)
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior

É importante lembrar que o apelo que Paulo faz para os leitores e ouvintes se reconciliarem com Deus e não aceitarem a graça de Deus em vão, foi feito após dizer que era embaixador em nome de Cristo e também cooperador com Deus.

O apelo foi uma espécie de parênteses, como que dizendo: “A propósito, já que sou embaixador de Cristo e cooperador com Deus, apelo para que vocês...”.

 

Mas logo Paulo volta ao assunto do seu compromisso e trabalho como ministro de Deus:

 

v.3

não dando nós nenhum motivo de escândalo...

Antes de tudo, não pense que Paulo está falando do ministério especial de apostolado, ou missionário. Ele usa um termo genérico para qualquer tipo de serviço cristão:

Ministério: διακονια diakonia: serviço

Ou seja, sem negar a condição especialíssima do ministério de Paulo, qualquer crente pode aplicar essa passagem a si mesmo.

 

escândalo: προσκοπτω proskopto: pros (para, contra) + kopto: bater: bater contra alguma coisa no caminho, tropeçar.

Paulo não queria ele mesmo ser uma “pedra”, provocar tropeço em alguém.

 

... em coisa alguma: seu critério era rigoroso. Nada escapava ao seu escrutínio.

 

E o motivo não era ele próprio, sua própria imagem, mas a reputação do seu serviço:

... para que o ministério não seja censurado

censurado: ser encontrado em falta, com uma mancha, tornando-se motivo de vergonha, de escárnio.

 

Bela lição de altíssima valorização ao serviço a Cristo, com o cuidado de não manchar o ministério que recebeu de Deus.

 

v.4a

Só que cuidar para não manchar o ministério é muito pouco.

Paulo queria que seu serviço a Cristo fosse observado e bem falado.

Pelo contrário, em tudo recomendando-nos a nós mesmos...

recomendar:  συνισταω sunistao: entre outros: recomendar, visando aprovação; dar-se a conhecer por fazer algo, mostrar-se.

De propósito, ele se expunha. Mas como? Como cidadão? Como pregador? Como líder?

Tudo isso é verdade, mas não o alvo principal:

... como ministros de Deus

Mesmo palavra “diakonos”: ou seja, como servo de Deus.

 

... em tudo: Paulo era radical, intenso!

Não queria ser motivo de tropeço EM COISA ALGUMA. Mas queria que seu serviço a Cristo fosse bem recomendado EM TUDO!

Ah, como é difícil uma atitude dessa hoje em dia. Tantos serviços feitos de maneira morna, sem ardor - tudo bem, sem mancha, mas também sem brilho!

 

Parece que Paulo achou um pouco vago dizer que, na qualidade de servo de Deus recomendava a si mesmo “em tudo”.

Como se alguém perguntasse: - Em tudo, como? Nas atitudes, no jeito de pregar, nos detalhes do dia a dia, no conteúdo das pregações? Daria para detalhar?

 

E como Paulo detalhou!

Ele passa a descrever várias maneiras ou circunstâncias ou atitudes em que recomendava a si mesmo como ministro de Deus.

E alista nada menos que VINTE E OITO!

Procurei separá-las em categorias, encontrando CINCO.

Sem detalhar cada item, veremos hoje as 4 primeiras categorias e a 5ª. na próxima mensagem.

 

1. Provações (situações que ocorriam sobre ele)

* nas aflições

* nas privações

* nas angústias

No grego, estas três palavras não são exatamente sinônimas, mas com muito em comum.

Colocadas juntas dão uma ênfase muita grande no grau de sofrimento, especialmente interno, na mente, no coração.

 

Alista três terríveis situações de sofrimento físico, consequências de perseguição, que certamente contribuíram para provocar tanta angústia:

* nos açoites

* nas prisões

* nos tumultos

 

Além das perseguições, peso gigantesco do dia a dia do ministério:

* nos trabalhos (NVI: trabalhos árduos): κοπος kopos: entre outros: intenso trabalho

unido a aborrecimento e fadiga, problemas, “broncas” (inglês “trouble”).

 

* nas vigílias (NVI: noites sem dormir): lit.: sem dormir. Por que? Preocupação, trabalho no ministério, fazendo tendas, orar.

 

* nos jejuns: provavelmente não jejum como prática religiosa, mas ficar sem comer devido às pressões do trabalho, viagens, etc.

Veremos alguns desses itens com mais detalhes no cap. 11.

 

Vejam quantos tipos de sofrimento Paulo diz que passou (até aquele ponto, é claro, ainda faltavam uns 12 anos de ministério!)

Uma das palavras que mais caracteriza um verdadeiro servo de Deus é SOFRIMENTO.

Digo isso para assustar?

Não, mas para que você encare os sofrimentos de maneira correta (sem se admirar, sem reclamar, sem desanimar, mas, ao contrário, agradecendo e atento para crescer).

 

2. Esforço em buscar conhecimento para si e aplicar no ministério

* no saber: γνωσις gnosis: conhecimento, especialmente de coisas espirituais.

É impressionante o valor que a Bíblia dá para a importância do saber, do conhecer as coisas de Deus.

Acho que todo crente deveria ter como alvo se empenhar para aumentar conhecimento, primariamente nas coisas de Deus, mas também nas coisas em geral.

 

* na palavra da verdade

A Palavra da Verdade era algo central para Paulo: tanto para saber e aplicar para si, como para pregar e ensinar aos outros.

Qual a importância que o conhecimento da Bíblia tem para você?

 

3. Total dependência de Deus e do Espírito Santo:

* no poder de Deus

* no Espírito Santo

Total dependência do poder de Deus.

Este é um segredo para quem deseja se aprimorar como servo de Deus.

Isso é algo alcançado de modo passivo ou ativo?

Ambos! Passivo ao receber. Mas ativo ao pedir, clamar, implorar e se esforçar na obediência.

 

A consequência direta desse dependência é o recebimento de virtudes espirituais, produzidos pelo Espírito Santo, que é o quarto grupo:

 

4. Virtudes cristãs

* na muita paciência: υπομονη hupomone: lit: capacidade de suportar peso; fig.: paciente, firme, estável.

 

* no amor não fingido

* na longanimidade: μακροθυμια makrothumia: lit.: lento em se irar; met.: tolerante

* na bondade

Quatro virtudes cristãs, as três últimas da famosa relação do fruto do Espírito de Gl 5.  

 

* pelas armas da justiça, quer ofensivas, quer defensivas

quer ofensivas, quer defensivas: lit: quer à direita ou à esquerda.

Ou seja, utilizando-se da justiça quer para atacar quer para se defender.

Interessante: há momento de atacar na vida cristã, na pregação do Evangelho.

A questão é COMO atacar! Sempre com a justiça de Deus bem ao ao lado.

 

* na pureza: pureza de mente, pureza de palavras, pureza de ações.

 

Que Deus nos ajude a buscar a excelência no nosso ministério, alcançado com total dependência a Deus, muito esforço da nossa parte e conscientização que tudo isso será acompanhado de vários tipos de sofrimento.

Mas um sofrimento que redunda em alegria em servir a Deus e muito gozo na comunhão com Ele.

 

Que Deus nos abençoe. Amém

Mauro Clark, 70 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2022
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2022 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b