PREGAÇÃO

Erro por atacado

2Re 20.12-19      65 minutos      19/01/2014         

Mauro Clark


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close Erro por atacado
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior


12Nesse tempo, Merodaque-Baladã, filho de Baladã, rei da Babilônia, enviou cartas e um presente a Ezequias, porque soube que estivera doente.13Ezequias se agradou dos mensageiros e lhes mostrou toda a casa do seu tesouro, a prata, o ouro, as especiarias, os óleos finos, o seu arsenal e tudo quanto se achava nos seus tesouros; nenhuma coisa houve, nem em sua casa, nem em todo o seu domínio que Ezequias não lhes mostrasse.14Então, Isaías, o profeta, veio ao rei Ezequias e lhe disse: Que foi que aqueles homens disseram e donde vieram a ti? Respondeu Ezequias: De uma terra longínqua vieram, da Babilônia.15Perguntou ele: Que viram em tua casa? Respondeu Ezequias: Viram tudo quanto há em minha casa; coisa nenhuma há nos meus tesouros que eu não lhes mostrasse.16Então, disse Isaías a Ezequias: Ouve a palavra do SENHOR:17Eis que virão dias em que tudo quanto houver em tua casa, com o que entesouraram teus pais até ao dia de hoje, será levado para a Babilônia; não ficará coisa alguma, disse o SENHOR.18Dos teus próprios filhos, que tu gerares, tomarão, para que sejam eunucos no palácio do rei da Babilônia.19Então, disse Ezequias a Isaías: Boa é a palavra do SENHOR que disseste. Pois pensava: Haverá paz e segurança em meus dias.
###########

Época: em torno de 710 aC

Rei Ezequias: fiel a Deus, começou a reinar com 25 anos e reinou 29 anos: 2Re 18.1-7

Aos 40 anos adoeceu mortalmente mas Deus o curou: 2Re 20.1-7

A história do nosso texto ocorreu logo depois.

 

v.12-13

cartas e presente: evidentemente havia interesses políticos por trás de tudo.

se agradou mostrou...tudo:

Interessante: agradar: no hebraico, também pode significar consentir, concordar.

É provável que os mensageiros sutilmente tenham pedido para ver os tesouros do rei.

E o rei ingenuamente concordou.

 

Vários erros incluídos naquela atitude:

1. Deixou-se atrair por potenciais inimigos

2. Ingenuidade

3. Imprudência (consequência da ingenuidade): permitiu que um povo estranho avaliasse todo o potencial militar de Israel

4. Vaidade: 2Cr 32.25, 31. A rigor, foi Deus quem tinha dado tudo aquilo a Israel.

Na realidade, vemos aqui o MOTIVO porque Ezequias falhou tanto: como reação de Deus ao orgulho do rei, Deus o testou e deixou vir à tona o que estava no coração dele.

5. Indiscrição

6. Desobediência: Deus não queria aliança de Israel com outro povo

7. Falta de confiança em Deus, achando que precisava se aliar com outros povos

 

v.14-15

O rei Ezequias interrogado pelo profeta Isaias

 

v.16-18

Atitude do rei altamente reprovada (também, com tantos erros!!!)

Julgamento: o próprio país que viu o tesouro um dia iria levá-lo.

Aliás, mais ainda, iriam levar até os descendentes do rei!

Isso aconteceu 110 anos depois, com Nabucodonosor.

 

v.19 

boa é a palavra:

Foi humilde, reconhecendo que era merecido.

 

O que podemos aprender do incidente para nossas vidas hoje? Que princípios continuam válidos hoje, para que tenhamos cuidado em segui-los?

Não é bem deixar de fazer o que ele fez, pois, afinal, não somos reis e nem temos tesouro nenhum para mostrar a um inimigo.

Mas EVITAR a POSTURA, a ATITUDE de Ezequias.

 

1) Deixar-se atrair por presente e bajulação do mundo.

Somos atraídos para o mundo não por acaso.

Sempre há interesse por trás, da parte do príncipe deste mundo, que domina o sistema.

Não um interesse político, mas espiritual.

O diabo é sagaz, malicioso, cheio de maquinações: 2Co 2.11: designios: pensamentos, aquilo que é fruto de percepção mental, propósito.

E propósitos sempre altamente malignos, visando nos devorar (destruir): 1Pe 5.8

Cuidado com a aparente doçura, alegria, prazeres que o mundo lhe oferece.

2) Ingenuidade:

Três características:

a) Pv 4.26: não pondera, não pensa

b) (consequência da primeira): acredita em tudo: Pv 14.15: atenta: considera, reflete

c) Não tem malícia

Rm 16.17-18:

incauto: simples, sem malícia.

Na época de Paulo, só se podia ouvir um falso mestre se fosse pessoalmente.

Por isso ele diz “afastai-vos deles”, saiam de perto.

Mas hoje, seria “Desligue a televisão, saia do Youtube”.

 

Ef 4.14: meninos: grego νηπιος nepios: criancinha; metaf.: infantil, imaturo.

 

Importante: o fato de você ser sem malícia não significa que está livre para ver e ouvir falsos mestres que você sabe que vão lhe prejudicar.

Você é responsável por você próprio!

É onde entra a terceira coisa a evitar:

 

3) Imprudência:

Pv 22.3: simples está em oposição a “prudente”, ou seja, imprudente.

Ele vê o mal, como o outro. Mas em vez de evitar, enfrenta e o que acontecer, aconteceu.

Como uma criança que corre para a piscina, gritando: Lá vou eu, me segura!

Quantas vezes vemos claramente o mal e continuamos andando na sua direção (às vezes corremos para o mal).

* Jesus: Mt 10.16: prudentes como as serpentes

 

4) Vaidade

Sl 4.2: vaidade: vazio, vão, à toa

O vaidoso se autovaloriza e isso é patético - mesmo que valorize uma virtude verdadeira!

Uma virtude exaltada à parte de Deus é coisa vã.

O vaidoso erra em duas coisas:

a) Insulta, desonra a glória de Deus (vexame: hebr.: vergonha, desonra, insulto)

Por que? Porque foi Deus quem deu aquelas qualidades.

 

b) Busca a mentira (engano), pois o vaidoso deixa implícito que conseguiu por si mesmo as coisas pelas quais se envaidece. Isso é falso, foi Deus quem deu!

 

Dentro de limites, não é errado se sentir alegre e incentivado com elogios: Pv 27.2

Jesus elogiou várias pessoas em público.

O problema é que o vaidoso não se contenta em aguardar o próximo elogio e resolve elogiando a si mesmo. Isso é insensatez: 2Co 10. 12

 

Solução excelente para que não consegue ficar sem louvar a si mesmo: 2Co 10.17-18

 

5) Indiscrição

Crente tem que ser discreto em tudo:

Pv 19.11: discrição: hebr. prudência, discernimento, bom senso

Outras: Pv 10.19; 13.3; 17.27; 19.11; 21.23; Ec 5.2 (contexto aqui é falar com Deus)

 

6) Aliança com quem não tem Deus

Passagem clássica: 2Co 6.14-18

Assunto tão importante que deixarei para tempo específico.

Sejamos amigos de quem não tem Cristo, amemo-los, mas nada de sociedade, de

aliança, de muita confidencia com ele.

 

7) Falta de confiança em Deus

É extremamente ofensivo a Deus confiar em qualquer coisa que não seja Ele: Is 31.1

É exatamente essa falta de confiança em Deus que nos leva a procurar aliança, ou ajuda, ou socorro, com o mundo.

Nós somos exclusivos de Deus: 1Pe 2.9. Ele tem muito ciúme de nós: Tg 4.5

 

Tendo de expor tantos erros de Ezequias (quer era um homem de Deus), tenho prazer em expor uma virtude: humildade em reconhecer que errou: 2Cr 32.26

Pode parecer detalhe, mas essa é uma grande virtude cristã.

 

E você, amigo, pode tomar essa virtude e aplicar da melhor forma possível: reconhecer que tem pecado contra Deus, pedir perdão em Cristo e entregar-se a Ele.

 

Que Deus nos abençoe. Amém

Mauro Clark, 68 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2021
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2021 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b