PREGAÇÃO

O Espírito Santo e nós: testemunhas de Cristo

Jo 15.22-27; Jo 16.7-11      59 minutos      14/07/2013         

Mauro Clark


headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close O Espírito Santo e nós: testemunhas de Cristo
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior

Na última pregação vimos o relacionamento do mundo com Cristo e com os discípulos dele: ódio e perseguição.

Cristo fez afirmações sérias e graves sobre grande parte da humanidade, quanto à atitude para Ele próprio e para com Deus.

Perguntamos como ficaria aos olhos de Deus a situação de quem age assim de modo tão hostil a Deus e a Seu Filho.

Ficamos de responder isso hoje.

 

Até o v. 21 Jesus se limitara a falar do procedimento do mundo para com Ele e Seus discípulos, sem nenhum comentário pessoal sobre o assunto.

Agora Ele comenta, jogando peso sobre quem agiria contra Ele.

 

Antes de tudo, Jesus fala de três atitudes Suas em benefício do mundo:

1) v. 22: se eu não viera:

Que afirmação: Ele veio ao mundo!

Deixou glória do Pai e se esvaziou. Enfrentou vida dura, conviveu com pecadores, entristeceu-se com o efeito do pecado por onde ia. Sem falar no que Ele próprio sofreu.

 

2) v. 22b: nem lhes houvera falado:

Se Jesus não houvesse aberto a boca para dizer uma só palavra, já teria realizado sua missão de salvar os pecadores que cressem nEle.

Mas Ele não se limitou apenas a deixar o Seu poder e glória e vir habitar em Israel.

Ele FALOU, e muito! Falou, ensinou, pregou, exortou, apelou, convidou.

Mas ainda não foi só isso:

 

3) v.24: se eu não tivesse feito entre eles tais obras, quais nenhum outro fez

Jesus não se limitou apenas a vir e pregar. Fez obras fantásticas, milagres poderosíssimos.

Deu visão a cegos de nascença, fez paraplégicos andarem, multiplicou alimentos, deu ordens ao vento e ao mar, dirigiu peixes para onde quis, ressuscitou mortos.

O principal propósito dos milagres de Jesus não foi levar pessoas a crerem nEle, mas  ATESTAR O PODER DE DEUS por trás da Pessoa e das palavras dEle.

E as Suas OBRAS não se limitaram aos milagres, mas prática do amor, perdão, humildade.

 

Claro que tanta iniciativa por parte do Filho de Deus exirigira uma contra-partida dos homens.

Já que Cristo veio ao mundo, revelou o que era preciso, fez milagres poderosos, mostrou o padrão moral de Deus, agora as pessoas NÃO TÊM MAIS DESCULPA do seu pecado.

 

… PECADO NÃO TERIAM: não significa pecado em termos absolutos, mas o pecado da REJEIÇÃO do filho de Deus, de terem dado as costas à salvação que Deus ofereceu.

 

O homem gosta de dar desculpas de vários tipos. Entre elas, o famoso “eu não sabia!”

Quando a mãe diz “ninguém come esta torta antes do jantar”, os filhos ficam sem desculpa para comer e dizer “eu não sabia!”. Se comer, será transgressor consciente.

 

Assim é com os homens.

Não podem mais dizer:

“Oh, Deus, eu não sabia que havia um plano de salvação que incluiu  a vinda e morte do Teu próprio Filho. Eu não sabia que a única maneira de eu ser salvo seria crendo em Cristo como meu Salvador. Eu pensei que bastava fazer uns sacrifícios, ou bastava fazer parte de alguma religião, ou isso ou aquilo.

Qualquer desculpa desse tipo não tem mais valor.

Depois que Cristo veio, a rejeição a Ele e ao próprio Deus ficou PATENTE e os homens se tornaram TANSGRESSORES conscientes, tal qual o menino da torta.

Só que o menino vai apenas levar apenas umas boas palmadas. O ser humano vai passar toda a eternidade no inferno.

 

Voltando: veja o AGRAVANTE: não é que viram o que Cristo fez e ficaram impassíveis.

Mas viram e a reação foi tê-Lo odiado, tanto a Ele como ao Pai.

 

v. 25: O VT já previra isto.

Provavelmente Jesus estava com duas passagens em mente: Sl 69.4; 35.19

 

Nesse ponto, pode ter ficado uma pergunta no ar:

E agora, que Ele vai embora? Os homens podem ter a desculpa de não tê-Lo conhecido pessoalmente?

Jesus esclarece essa questão e ensina algo extremamente importante para o crente:

 

v.26

No cap. 14 Jesus já havia falado do Outro Consolador, o Espírito Santo, que seria enviado quando Ele partisse.

Jesus volta a falar no assunto:

… esse dará testemunho de mim.

O Espírito Santo daria um testemunho interno de Cristo, dentro dos crentes.

Toda atração, simpatia, amor, sede, que os crentes sentiriam por Cristo, seria resultado do trabalho do Espírito Santo dentro deles.

Até aqui, nenhuma novidade, pois essa ideia já estava incluída em 14.26.

E Jesus voltará a tocar neste pto. no cap.16.13-15.

Mas surge uma grande NOVIDADE no v. 27:

 

v.27

vós TAMBÉM testemunhareis: Jesus fala do mesmo tipo de testemunho, ou seja, testemunho sobre a Pessoa dEle.

A ideia é clara: o Espírito Santo testemunha internamente nos crentes e estes, por sua vez, passam esse MESMO TESTEMUNHO ADIANTE, para o mundo.

Ou seja, Cristo agora introduz um elemento novo no ministério do Espírito Santo: atuação junto ao mundo.

Já havia pensado que o Espírito Santo tem um ministério junto aos não crentes?Esse ministério se constitui em DAR TESTEMUNHO DE CRISTO.

Só que uma maneira do Espírito Santo de testemunhar de Cristo junto ao mundo é ATRAVÉS DOS CRENTES! 

Está vendo o TAMANHO da sua responsabilidade?

Atuar CONJUNTAMENTE com o Espírito Santo de Deus na tarefa gigantesca e seríssima de mostrar ao mundo QUEM JESUS É, uma vez que Ele se ausentou e voltou para o céu.

 

Irmão, Deus conta com o seu trabalho de EXPOR ao mundo tudo o que o Espírito Santo tem testemunhado de Cristo junto a você.

Do jeito que a geração do tempo de Jesus ficou sem desculpa pelo que viu e ouviu diretamente dEle, A NOSSA GERAÇÃO deve também ficar sem desculpa pelo que ouviu de Cristo ATRAVÉS DE VOCÊ!

 

Imagine Hirohito recusando-se assinar a rendição perante o general MacArthur, exigindo o próprio presidente dos EUA.

Não teria desculpa e seria novamente bombardeado. Tanto o general americano tinha de ter consciência que representava o presidente dos EUA e desempenhar com responsabilidade a sua função, como o imperador japonês tinha de RECONHECER como legal e oficial o que o general dissesse.

 

Cada crente tem de compreender que é um porta-voz autorizado de Deus para falar de Cristo e os homens precisam aceitarem-no como tal.

Se não aceitarem, vão prestar contas a Deus.

 

Importante: o crente tem de falar NÃO o que ACHA que Cristo é, mas o que o Espírito Santo lhe ensinou sobre Ele. Aí vem a importância de uma boa doutrina.

 

Mas Jesus tinha outra novidade sobre o ministério do Espírito Santo junto ao mundo. Esse trabalho não seria APENAS através dos crentes.

O Espírito Santo teria uma atuação INTERNA e DIRETA dentro dos descrentes.

 

Pulemos para cap. 16.7-11:

Fundamental esclarecermos um ponto aqui:

v.8: convencerá: acho tradução não muito feliz.

Em português convencer é conseguir que o outro concorde, com o uso de argumentação.

Pode dar a entender que o Espírito Santo fará que o mundo em geral concorde que é pecador, que aceite o ensino bíblico sobre justiça divina e creia no julgamento de Deus.

Mas será que todos os homens chegarão a este ponto de convicção, mesmo que não se convertam a Cristo? Claro que não.

 

Alguns interpretam “mundo” como uma parte, ou seja, os eleitos (de fato às vezes a Bíblia usa esse expediente). Mas não creio que o texto indique isto.

Penso que Jesus está falando do ministério do Espírito Santo no mundo como um todo.

Como resolver isto?

Resposta: “Convencer” é apenas um entre vários sentidos do verbo grego elegcho: refutar, arguir, acusar de erro, declarar culpado, reprovar e convencer do erro.

O contexto é que determina o sentido.

Basta uma citação em que o próprio Jesus usa o mesmo verbo: Mt 18.15: arguir: boa tradução. Significa ARGUMENTAR, MOSTAR O ERRO.

SE te ouvir: Jesus não garante que o outro vai se convencer, resultado da argumentação.

 

Em suma: penso que o sentido é que o Espírito Santo tem o ministério de argumentar, acusar de erro, reprovar o ser humano, de maneira interna.

É um trabalho misterioso e invisível aos nossos olhos e cujos resultados são variáveis:

* Alguns de fato se convencerão que são pecadores perdidos mas nunca aceitarão Cristo

* Outros se arrependerão e se entregarão a Cristo

* Outros ficarão mais endurecidos ainda.

Mas o fato é que cada um dará conta diante de Deus e estarão sem desculpa, pois foram alvos de um testemunho que o Espírito Santo lhes deu internamente.

 

Mas SOBRE O QUE o Espírito Santo vai ARGUMENTAR com as pessoas e acusá-las?

Três coisas: v.8: do pecado, da justiça e do juízo

A explicação de Jesus é muito difícil. Sem detalhar:

 

v.9: do pecado porque não creram em mim

É o pecado específico da REJEIÇÃO de Cristo. Já tocamos neste ponto: o mundo ficou sem desculpa depois que Cristo veio e falou e fez tantas obras.

 

v.10: da justiça porque vou para o Pai, e não me vereis mais

Justiça: tudo o que vem de Deus, que é reto, conforme o caráter santo dEle, as exigências, os padrões. Quase sinônimo VONTADE DE DEUS.

O fato histórico de Jesus ter ressuscitado e voltado ao céu é prova de que Ele estava dentro dos planos de Deus. Tudo o que Ele disse e fez foi LEGITIMADO pela ressurreição e retorno a Deus. Ele estava absolutamente dentro da JUSTIÇA DIVINA.

 

Cada pessoa deve prestar toda a atenção possível à Pessoa e Obra de Cristo.

Quem quiser estar afinado com a justiça de Deus, tem que se sujeitar à Pessoa de Cristo.

 

v. 11: do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado

O julgamento de Deus virá com certeza.

As coisas podem até indicar o contrário: crimes, corrupção, descrença, guerras, etc.

Mas Deus irá julgar cada. ser humano. (E os anjos também).

O próprio diabo, que é o Príncipe deste mundo, já está julgado.

Ora, se o poderosíssimo príncipe deste mundo já está julgado, que ser humano terá a ousadia de achar que vai escapar?

Interessante como as pessoas tem uma noção de julgamento futuro.

Pois isso é exatamente o resultado deste trabalho do Espírito Santo nas pessoas.

 

Irmãos: sejamos mais conscientes da responsabilidade que temos de testemunhar de Cristo, na ausência dEle.

Mas lembre-se que esse testemunho deve ser resultado do TESTEMUNHO INTERNO que o Espírito Santo dá de Cristo em você.

Esteja pois sempre na melhor comunhão possível com o Espírito Santo.

 

E você, amigo, uma vez que o Espírito Santo argumenta com você sobre essas coisas, amoleça o coração e deixe-se convencer. E renda-se a Cristo!

 

Que Deus nos abençoe. Amém 

Mauro Clark, 69 anos, pastor, pregador e conferencista, foi consagrado ao ministério em 1987. Iniciou em 2008 a Igreja Batista Luz do Mundo, que adota a posição Batista Regular. Mauro Clark é também escritor. Produziu artigos em jornal por dez anos e tem escrito vários livros de orientação e edificação cristã. Em 2004 instituiu o Ministério Falando de Cristo.
FalandodeCristo © 2004-2021
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus."
1 Co 1.24b
close
Ministério Falando de Cristo © 2004-2021 - www.falandodecristo.com
"... pregamos a Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus." 1 Co 1.24b